Comboio humanitário retirou-se de Ghouta sem ter entregue toda a ajuda

Comboio humanitário retirou-se de Ghouta sem ter entregue toda a ajuda

 

Lusa/AO online   Internacional   6 de Mar de 2018, 09:45

O comboio de ajuda humanitária que entrou hoje no feudo rebelde de Ghouta oriental, perto de Damasco, capital da Síria, retirou-se ao início da noite sem ter entregue toda a carga, distribuída “no meio de bombardeios”, informou a ONU.

“Está a acontecer agora. O comboio humanitário com destino a Goutha oriental está a retirar-se de Douma quase nove horas depois. Entregámos o máximo de ajuda possível no meio dos bombardeios”, escreveu na rede social Twitter Sajjad Malik, representante da Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR)

O responsável acrescentou que os civis estão a ser “mantidos reféns de uma situação trágica”.

Os 46 camiões com ajuda médica e alimentos para cerca de 27.500 pessoas, segundo o Departamento de Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU (OCHA), foram o primeiro comboio humanitário a entrar no enclave desde o lançamento, a 18 de fevereiro, da operação militar do regime que já matou mais de 700 civis, de acordo com uma organização não-governamental.

“O comboio humanitário teve que abreviar sua missão, quando nove camiões ainda não tinham sido descarregados", disse à agência France Press um funcionário local da Duma.

De acordo com Linda Tom, do escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) em Damasco, os confrontos e os bombardeios continuaram durante o descarregamento da ajuda.

Um ataque aéreo atingiu Douma enquanto o comboio ainda estava na cidade, assegurou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

A ONU recebeu as autorizações necessárias para distribuir ajuda para "70.000 pessoas" e um segundo comboio humanitário está previsto para quinta-feira.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.