Combate ao desemprego deve ser prioridade dos partidos

Combate ao desemprego deve ser prioridade dos partidos

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Set de 2016, 15:44

O presidente da UGT/Açores, Francisco Pimentel, disse hoje que "o combate ao desemprego" é a grande prioridade no caderno reivindicativo para a próxima legislatura e desafiou os partidos a assumirem também esta prioridade.

“É a prioridade das prioridades para todos e é o desafio que nós fazemos a todos os partidos políticos que se apresentam a estas eleições, a necessidade de eleger o combate ao desemprego como prioridade”, afirmou aos jornalistas Francisco Pimentel, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

Para o responsável, só com “políticas de crescimento económico, de apoio ao investimento privado que atraiam empresas para a região” se combate o desemprego.

Nas contas do sindicalista, serão 23 mil os desempregados na Região Autónoma dos Açores e atualmente existem “15 mil pessoas desempregadas mais oito mil em programas ocupacionais que também estão na condição de desempregados”.

“É urgente a tomada de medidas que combatam o desemprego”, insistiu o dirigente sindical, reconhecendo que os programas ocupacionais criados pelo executivo açoriano, do PS, “são importantes”, mas não resolvem o problema de empregabilidade nos Açores.

Segundo Francisco Pimentel, “é preciso que haja, neste momento, uma substituição desses programas por respostas que criem emprego sustentável […], que se faça um levantamento das pessoas que estão neste momento a cobrir necessidades permanentes da administração pública e, sabendo isso, que se abram concursos”.

O sindicalista considera que as políticas implementadas têm falhado no combate ao desemprego, adiantando que o setor do turismo é o único em que se tem “notado alguma dinamização”, mas que nem tudo está feito nessa área.

“Precisamos, por exemplo, no setor do turismo, de dar formação profissional e preparação para que os jovens que vão ser contratados possam também responder com profissionalismo e dignidade que um turismo de qualidade exige”, disse.

O presidente da UGT/Açores vai entregar “as principais preocupações e reivindicações sindicais” para a próxima legislatura a todos os partidos políticos que concorrem às próximas eleições legislativas regionais, a 16 de outubro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.