Cinemas europeus perderam espectadores em 2017

Cinemas europeus perderam espectadores em 2017

 

Lusa/AO online   Internacional   15 de Fev de 2018, 16:05

As salas de cinema na União Europeia (UE) perderam 6,6 milhões de espectadores em 2017, o que representa uma quebra de 0,7% em relação ao ano anterior, segundo dados do Observatório Europeu do Audiovisual.

Divulgados esta quinta-feira na abertura do Festival de Cinema de Berlim, os dados mostram que a exibição de cinema em sala na UE contou com 985 milhões de espectadores em 2017 e que, apesar da quebra, aquele número representa a segunda melhor estatística desde 2004.

"Os resultados confirmam a recuperação do mercado da exibição de cinema na Europa, que esteve em declínio entre 2010 e 2014", sublinha o Observatório Europeu do Audiovisual em comunicado.

Em termos geográficos, as perdas mais significativas foram em Itália, com uma quebra de cerca de 12% para um total de 99,2 milhões de espectadores e de 613 milhões de euros de receita de bilheteira.

Entre os países com mais de 100 milhões de espectadores, a Alemanha e o Reino Unido registaram ligeiras subidas, entre 1 e 1,4%, enquanto Espanha e França sofreram quebras entre 0,7 e 1,8%.

Segundo aquele organismo, bateram-se recordes de audiências em países com mercados mais pequenos, como a Eslováquia, com um aumento de 18,1%, para 6,7 milhões de espectadores, e a Roménia, com um crescimento de 11%, para um total de 14,5 milhões de espectadores.

Em Portugal, segundo os dados já divulgados pelo Instituto do Cinema e Audiovisual, as salas de cinema tiveram 15,5 milhões de espectadores e 81,5 milhões de euros de receita de bilheteira em 2017, um aumento de cerca de cinco por cento em relação a 2016.

"Velocidade Furiosa 8", "Star Wars: Os últimos Jedi", "A bela e o monstro" e "Gru, o mal-disposto 3" foram os filmes mais vistos nos países da União Europeia.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.