Política

César aplaude reequilibrio financeiro na Povoação

César aplaude reequilibrio financeiro na Povoação

 

Lusa/AO online   Regional   2 de Set de 2010, 17:43

O presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, elogiou esta noite a forma como a Câmara da Povoação, em S. Miguel, está a proceder ao reequilíbrio financeiro, tendo já conseguido diminuir em 600 mil euros a sua dívida.

 

“Nós damos muito valor à ação que o presidente da Câmara está a desenvolver no sentido do reequilíbrio financeiro da autarquia”, afirmou Carlos César, em declarações aos jornalistas, no final de uma reunião do Conselho de Governo com a Câmara da Povoação.

O presidente do executivo regional recordou que Carlos Ávila, o atual presidente do município, “herdou uma situação de quase falência”, frisando que "as medidas tomadas são difíceis mas não introduzem fatores negativos no concelho”.

“Todos os presidentes gostam de fazer festas e arraiais, mas agora este período é de responsabilidade e a Câmara está a assumir com coragem e rigor”, frisou.

Carlos César salientou que o saneamento financeiro da Câmara da Povoação tem sido registado por membros do Governo da República, frisando esperar que outros autarcas sigam o exemplo.

“Alguns membros do Governo da República têm reportado a admiração pelo trabalho desenvolvido por esta Câmara, que não só não tinha disciplina financeira, como não pagava o que devia. Infelizmente, existiam mais autarcas nessa situação difícil, vamos ver se conseguem com o mesmo brilho desenvolver esta estratégia de recuperação”, afirmou.

A reunião do Conselho do Governo com a Câmara da Povoação insere-se na ronda que o executivo regional pretende realizar até ao final do ano com todos os municípios das ilhas de S. Miguel, Terceira e Faial.

Nesta reunião, o executivo regional comprometeu-se a ajudar no que for necessário para que a autarquia volte a ser financeiramente independente, tendo sido acordada uma comparticipação no valor dos 15 por cento necessários para poderem ser usados apoios comunitários em obras públicas.

Carlos Ávila frisou que esta ajuda permitirá avançar com investimento camarário, já que a autarquia não possui disponibilidade financeira para assegurar a verba de 15 por cento que tem que adiantar para obter a comparticipação dos restantes 85 por cento de fundos comunitários.

Para trás ficou a reunião do conselho de Governo no Nordeste, onde o governo se recusou, uma vez mais, a alterar o traçado da scut para o Nordeste.

“Como se sabe, a estrada termina na entrada poente da Vila do Nordeste e é com este enquadramento que estamos a fazer este grande projecto rodoviário. É uma matéria que, para nós, está provisoriamente fechada e só mediante uma situação extraordinária é que será alterada", afirmou Carlos César.

O presidente do executivo açoriano, que falava aos jornalistas no final de uma reunião com a Câmara do Nordeste, assegurou que "o que está planeado é para ser feito”.

Salga, Santana e Santo António Nordestinho são as três freguesias do concelho que vão ficar sem acesso directo à via rápida que vai percorrer a costa norte de S. Miguel desde a Ribeira Grande até ao Nordeste, existindo, no entanto, o compromisso de manter um limite máximo de cinco minutos de distância desde estas localidades até ao acesso à nova estrada.

Apesar das declarações de Carlos César, o presidente da Câmara do Nordeste, José Carlos Carreiro, admitiu aos jornalistas continuar a insistir na importância de todas as freguesias do concelho disporem de acesso directo à via rápida.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.