Cerca de 1.800 quilos de peixe à espera de ser escoados da Graciosa

Cerca de 1.800 quilos de peixe à espera de ser escoados da Graciosa

 

Lusa/AO   Regional   20 de Dez de 2007, 09:48

Cerca de 1.800 quilos de peixe fresco estão à espera de ser escoados da ilha açoriana da Graciosa desde sábado, alegadamente devido à falta de capacidade de transporte aéreo, adiantou hoje um armador local.
João Benjamim disse à agência Lusa que em causa está uma perda real de rendimento para os pescadores da Graciosa, sem que ninguém pague os prejuízos causados pela demora em escoar peixe fresco para fora da ilha.

    Este pescador garantiu que tem 572 quilos de goraz a desvalorizar há dias no aeroporto da Graciosa, peixe que já devia ter chegado ao Continente e Espanha.

    "Não houve voo segunda e terça-feira devido ao mau tempo, mas hoje a SATA já fez um voo de manhã e não levou peixe nenhum", afirmou João Benjamim, para quem esta situação já se "arrasta há vários anos, sem solução à vista".

    João Benjamim, dono de uma embarcação que emprega quatro pescadores, adiantou que a companhia aérea limita-se a dizer que os voos estão completamente cheios e que não há espaço livre para transportar carga.

    O PSD/Açores também já denunciou a situação, através de um requerimento do deputado Luís Henrique Silva, alertando para o facto da Graciosa ser "mal servida" em termos de transportes.

    "Apesar do peixe pescado na região ter um valor extraordinariamente elevado, dadas as características das espécies, que têm grande procura no mercado internacional, o problema do escoamento faz com que esse valor se acabe por perder", acrescenta o requerimento do parlamentar social-democrata dirigido ao Governo Regional.

    A agência Lusa contactou a transportadora aérea açoriana, que remeteu para mais tarde uma reacção a esta situação.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.