Centro de Investigação Internacional do Atlântico será oficializado em Cabo Verde

Centro de Investigação Internacional do Atlântico será oficializado em Cabo Verde

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Mai de 2018, 07:14

O Centro de Investigação Internacional do Atlântico (AIR Center) vai ser oficializado em Cabo Verde no terceiro encontro da instituição, que juntará quase 300 convidados segunda e terça-feira na capital cabo-verdiana, anunciou hoje fonte da organização do evento.


Segundo o diretor-geral do Ensino Superior de Cabo Verde, Aquilino Varela, que fez o anúncio em conferência de imprensa, o AIR Center é uma organização em rede, formada por instituições e com polos em todos os países membros, que visa fazer pesquisas atmosféricas, espaciais e oceanográficas no atlântico, colocando os dados à disposição da sociedade.

A comissão instaladora tem representantes de vários países, nomeadamente Portugal, que lidera, Espanha, Reino Unido, Nigéria, África do Sul, Cabo Verde e Angola, Brasil, Argentina e Uruguai, bem como instituições científicas e empresas.

Os dois encontros anteriores, realizados nos Açores (Portugal) e Florianópolis (Brasil), lançaram as bases para a institucionalização do centro, que vai acontecer durante a reunião em Cabo Verde, o primeiro país africano a acolher o evento intergovernamental.

"O AIR Center vai ser institucionalizado a partir de Cabo Verde. Já há a Declaração da Praia, que recebemos ontem, sob forma de ‘draft’, que virá institucionalizar o centro a partir dos dias 07 e 08 de maio", declarou Aquilino Varela.

O diretor geral do Ensino Superior cabo-verdiano avançou que é esperada a participação de quase 300 pessoas, entre as quais 10 ministros de Ciência, Tecnologia e Investigação de vários países, incluindo Cabo Verde, de conferencistas, investigadores e outros convidados.

Aquilino Varela adiantou que participam ainda no encontro uma ex-diretora da agência espacial americana NASA, o atual diretor da Agência Espacial Europeia (ESA) e um astronauta americano.

O diretor geral do Ensino Superior apontou várias vantagens para Cabo Verde em acolher a terceira reunião da plataforma de investigação e interações no corredor atlântico.

"A par de trazer os benefícios no sentido amplo das observações, do conhecimento e dos dados que são produzidos ao nível do atlântico, o benefício maior será no sentido de que os investigadores cabo-verdianos possam, a partir de agora, aceder à rede de recursos que vão sendo disponibilizados ao nível da plataforma", disse.

Aquilino Varela salientou ainda que os investigadores cabo-verdiano poderão partilhar os seus dados e conhecimentos com outros investigadores e conseguir acrescidas dinâmicas de investigação que de outra forma não poderiam fazer.

"Porque de forma isolada dificilmente se consegue financiar projetos de investigação nos domínios oceanográfico, atmosférico e espacial, que requerem recursos avultados", explicou.

O centro, com sede nos Açores, pretende criar um plano de financiamento e um plano de desenvolvimento institucional ainda este ano, tendo já garantias de disponibilização de recursos por parte de países como Portugal, Brasil e Espanha.

O 4.º diálogo do AIR Center será realizado em novembro nas Canárias.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.