CDU satisfeita com previsível perda da maioria absoluta de PSD/CDS-PP


 

Lusa/AO online   Nacional   4 de Out de 2015, 19:48

A CDU revelou-se este domingo satisfeita com a suposta perda de maioria absoluta da coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP), desvalorizando o facto de surgir nas sondagens atrás do Bloco de Esquerda, na sua sede de candidatura, em Lisboa.

 

"Valeu a pena a luta do nosso povo, dos trabalhadores, da juventude, dos reformados que deixaram bem clara uma derrota eleitoral da coligação PSD/CDS que, independentemente das projeções, perderá a sua maioria absoluta", disse o membro da comissão política do comité central do PCP Paulo Raimundo.

Relativamente ao facto de o BE poder vir a crescer em termos de votação, o responsável comunista limitou-se a frisar as "possibilidades reais de progressão do resultado eleitoral (da CDU)".

Confrontado pela Agência Lusa com o facto de os partidos do executivo poderem ganhar o ato eleitoral e isso significar o triunfo daquilo a que os elementos da coligação que junta PCP e "Os Verdes" designam por "política de direita, Paulo Raimundo salientou a limitação do "espaço" de Passos Coelho e Paulo Portas.

"Eles ficam com menos espaço para continuarem, sem maioria absoluta. Sozinhos não têm condições para o fazer e é preciso alguém para o fazer. É preciso alguém que lhe dê esse auxílio e, da nossa parte, não o terão. Não podem fazê-lo sozinhos e, portanto, dificulta-os", afirmou.

No espaço do centro de trabalho Vitória, gritou-se "CDU", na altura das projeções, mas o estado de espírito geral é de pouca ou nenhuma animação.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.