CDS/Açores propõe 2 milhões de euros para redução de listas de espera cirúrgicas

CDS/Açores propõe 2 milhões de euros para redução de listas de espera cirúrgicas

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Nov de 2017, 07:34

O CDS-PP/Açores vai propor um reforço de verbas para o programa CIRURGE (de redução de listas de espera cirúrgicas), de 900 mil para 2 milhões de euros, em 2018, anunciou hoje o líder regional centrista.

“O Governo já anunciou uma verba de 900 mil euros para o próximo Plano e Orçamento. Essa verba é manifestamente insuficiente e o CDS vai reforçar a sua proposta numa verba realista e que chegue para os doentes estarem em lista de espera há menos de quatro meses como acontece no continente e não há menos de 18 meses como acontece vergonhosamente na Região Autónoma dos Açores”, adiantou Artur Lima, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo, à margem das jornadas parlamentar do partido.

O arranque do programa CIRURGE, que prevê a realização de cirurgias nos hospitais da região em horário extraordinário, foi anunciado pelo Governo Regional, na passada sexta-feira, com a meta de eliminar das listas de espera, até ao final de 2018, os utentes inscritos antes de 2015.

O programa foi proposto pelo CDS-PP e aprovado na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores na discussão do Plano e Orçamento da Região para 2017, em março deste ano.

Artur Lima lamentou o atraso na implementação do CIRURGE e a falta de referência ao autor da proposta.

“Acho que é uma boa notícia para os doentes que estão em lista de espera há quatro e há cinco anos. O que me parece é que essa proposta já devia ter sido implementada e que o Governo devia ter tido pelo menos o bom relacionamento institucional e o cavalheirismo de não retirar o cunho autoral da proposta”, apontou.

O líder regional centrista defendeu, no entanto, um reforço da verba para mais do dobro do que está previsto, alegando que o montante proposto pelo Governo Regional é insuficiente.

“Nós vamos propor 2 milhões de euros para o combate às listas de espera, porque eu não admito viver numa sociedade que se diz inclusiva e os doentes estão à espera de uma cirurgia da prótese da anca, de uma cirurgia vascular, com limitações sérias na sua vida, quando se esbanja dinheiro em festas e festarolas”, salientou.

Até ao final do ano, o CIRURGE tem um orçamento de 175 mil euros para que sejam operados os utentes em lista de espera há mais anos, em horário pós-laboral, havendo pessoas à espera de cirurgia desde 2011.

Só nas especialidades de cirurgia vascular e ortopedia estão inscritos 1.900 utentes até 31 de dezembro de 2014, nos três hospitais da região, 75% dos quais no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada.

Segundo o secretário regional da Saúde, Rui Luís, antes de avançar com esta medida o executivo açoriano promoveu a otimização dos blocos operatórios e o alargamento da produção acrescida de 25 para 35%.

Os últimos dados conhecidos, referentes a setembro, apontavam para a existência de 11.358 pessoas em lista de espera cirúrgica (incluindo pequena cirurgia), nos três hospitais da região, quando em dezembro de 2016 estavam inscritos 10.413 utentes.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.