Cavaco Silva acredita que portugueses no mundo são agentes no reforço do prestígio de Portugal

Cavaco Silva acredita que portugueses no mundo são agentes no reforço do prestígio de Portugal

 

Redação AO/LUSA   Nacional   26 de Dez de 2012, 15:30

O Presidente da República, Cavaco Silva, reiterou hoje que acredita nas potencialidades das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo, servindo como "agentes" do "reforço da reputação, do prestígio e credibilidade de Portugal".

"Eu acredito fortemente nas potencialidades das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e sei que são muitos aqueles que querem ser agentes ativos do reforço da reputação, do prestígio e da credibilidade de Portugal", afirmou Cavaco Silva perante o conselho da diáspora portuguesa.

O Chefe de Estado assistiu hoje no Palácio de Belém, em Lisboa, ao ato de constituição do conselho da diáspora portuguesa, juntamente com o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas.

"Este conselho para a diáspora portuguesa dá corpo a uma ambição que eu acalento já há algum tempo e que tenho vindo a estimular, que é estruturar uma rede de talentos e competências que existem nas comunidades portuguesas, no domínio da economia, das artes, da ciência e da política", sustentou.

O Presidente sublinhou que este conselho "desenvolve" uma ideia que foi "central" no seu discurso da cerimónia do 25 de Abril, na Assembleia da República, a de "mobilizar os portugueses para contribuírem para a melhoria da imagem e de credibilidade de Portugal no estrangeiro e darem a conhecer as potencialidades do nosso país, fatores que são decisivos para recuperação económica e para a criação de emprego".

"Tenho uma grande esperança no vosso trabalho, que irão dar o vosso melhor para o reforço da imagem de Portugal no estrangeiro", afirmou, considerando que com a criação deste conselho se está "plantar uma árvore que vai dar frutos para Portugal".

Este conselho junta-se ao prémio empreendedorismo inovador da diáspora portuguesa e ao conselho da globalização, como instrumentos aos quais o Presidente está a associado e que servem o "reforço das relações das comunidades portuguesas e de luso descendentes espalhadas pelo mundo", assinalou Cavaco Silva, afirmando que isso "tem sido uma grande prioridade" dos seus mandatos "desde o primeiro dia".

O conselho da diáspora portuguesa, presidido pelo empresário Filipe de Botton, define a sua principal missão como "a de agregar a imensa rede de influência mundial constituída pela comunidade de portugueses e de lusodescendentes espalhados pelo mundo".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.