Política

Cavaco pede aposta nos jovens e diz que país não pode ficar "aprisionado"

Cavaco pede aposta nos jovens e diz que país não pode ficar "aprisionado"

 

Lusa/AO online   Nacional   5 de Out de 2012, 14:39

O Presidente da República advertiu hoje que Portugal não pode ser aprisionado pelo "imediatismo" de um presente "muito difícil", num discurso que dedicou aos jovens, ao papel da educação e em que elogiou a missão dos professores.

"A batalha da educação é a grande causa republicana deste novo milénio. Olhemos para o futuro, não nos deixemos aprisionar pelo imediatismo de um presente muito difícil", disse Cavaco Silva na parte final do seu discurso na cerimónia de comemoração dos 102 anos da proclamação da República. Falando este ano no Pátio da Galé - e não na Praça do Município, como era tradicional nas comemorações do 5 de Outubro -, o chefe de Estado frisou que os jovens são o futuro do país, reconheceu desilusão entre a juventude portuguesa por falta de oportunidades de emprego, mas contrapôs que não pode ser perdido o investimento feito nesta geração. "O país tem de ser capaz de lhes dar as condições para que aqui façam frutificar as suas capacidades e mostrar o valor que têm - um valor que é reconhecido além-fronteiras, nascido da vontade de triunfar dos nossos jovens e do investimento educativo que neles foi feito. Este investimento não pode ser perdido, tem de ter retorno", afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.