Carta Europeia das Terras do Priolo vai ser renovada

Carta Europeia das Terras do Priolo vai ser renovada

 

Lusa/AO Online   Regional   12 de Dez de 2016, 17:18

O Governo dos Açores vai renovar a Carta Europeia de Turismo Sustentável das Terras do Priolo (CETS), definindo um plano de ação para 2017-2021, disse hoje a diretora do Parque Natural da Ilha de São Miguel.

 

“A CETS já está em vigor há cinco anos e nós vamos avançar com sua renovação. Tinha uma série de ações que vão continuar para o período de candidatura seguinte e vamos apresentar novas para os próximos cinco anos”, declarou à agência Lusa Hélia Palha.

O priolo é uma ave endémica açoriana em perigo, que apenas existe nos concelhos de Nordeste e Povoação, na ilha de São Miguel, e que viu este mês o seu estatuto revisto, tendo sido classificado como “vulnerável”, o "mais baixo para espécies em risco de extinção".

A responsável disse que as ações a desenvolver são da responsabilidade da Direções Regionais do Ambiente e Recursos Florestais e outros parceiros envolvidos na CETS, pretendendo-se “desenvolver o turismo sustentável nas terras do priolo”.

Hélia Palha adiantou que se pretende continuar com as ações de conservação que estão a decorrer no terreno, paralelamente às novas que vão ser introduzidas nos próximos anos.

“A CETS traz de novo algumas ações que não tínhamos previsto. Como este é um processo dinâmico, nos primeiros cinco anos houve iniciativas que tiveram uma concretização e um desenvolvimento e outras que não chegaram a ser concluídas. Vamos dar seguimento às que não tiveram essa conclusão e dar dinâmica a outras novas com o envolvimento dos vários parceiros”, referiu.

Hélia Palha apontou que existem ainda ”pequenas ações” que vão ser desenvolvidas, como no Centro de Interpretação das Furnas, concelho da Povoação, onde se vai alterar o acesso de pessoas com mobilidade reduzida.

Vão ser promovidas iniciativas que tenham a ver com a conservação da natureza, ações mais ligadas ao turismo e ao desenvolvimento sustentável, que serão debatidas na terça-feira, no Centro de Monitorização e Investigação das Furnas, no III Fórum CETS.

De acordo com uma nota do executivo açoriano, o plano de ação conta com contributos e ações da responsabilidade da Direção Regional do Ambiente, enquanto entidade promotora, assim como das entidades parceiras - Direções Regionais do Turismo e dos Recursos Florestais, Câmara Municipal do Nordeste, Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, Associação de Turismo dos Açores, Associação para o Desenvolvimento Local do Nordeste, Associação Geoparque Açores e Observatório Microbiano dos Açores.

A discussão pública do plano de ação encerra o processo de renovação do galardão da Carta Europeia de Turismo Sustentável, cuja documentação deverá ser enviada à Federação EUROPARC até ao final do ano.

O galardão deverá ser atribuído no segundo semestre de 2017.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.