Cardeal alemão acha "inconcebível" que homossexuais não possam viver o Evangelho


 

Lusa/AO online   Internacional   17 de Out de 2014, 19:01

O arcebispo de Munique, o cardeal alemão Reinahrd Marx, defendeu a necessidade da Igreja "acolher" as novas situações familiares e considerou "inconcebível" que um homossexual não possa viver o Evangelho.

 

O também presidente da Conferência Episcopal alemã e um dos membros do chamado “G9” vaticano, nomeado pelo Papa Francisco para reformar o governo da Igreja, explicou hoje numa conferência de imprensa, no Vaticano, a sua posição durante o Sínodo dos Bispos.

Marx, considerado um dos arcebispos mais favorável à abertura da Igreja a modelos familiares não tradicionais, afirmou que também o Papa espera por partes dos bispos “novos impulsos que abram portas para poder continuar a seguir o modelo da família”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.