Eleições

Candidatos presidenciais suspendem campanha para celebrar o Natal

Candidatos presidenciais suspendem campanha para celebrar o Natal

 

Lusa/AO Online   Nacional   23 de Dez de 2010, 16:44

Os candidatos às eleições presidenciais de 23 de Janeiro vão praticamente "desaparecer" da esfera pública durante o Natal e o Ano Novo, retornando às suas "origens" para celebrar em família o período das festas.
“Passo o Natal em Águeda, em casa com a minha família, de forma tradicional. A passagem de ano será em Águeda ou em Lisboa”, disse Manuel Alegre, candidato apoiado por PS e Bloco de Esquerda.

Fonte da sua direcção de campanha indicou ainda que nos dias 24, 25 e 26 de Dezembro não haverá nenhuma iniciativa, escusando-se a adiantar se o mesmo acontecerá dia 31 ou no dia de Ano Novo.

Quanto a Cavaco Silva, o candidato apoiado por PSD e CDS/PP passará a quadra natalícia e o ano novo "com a família", não tendo nenhuma acção de pré-campanha prevista para os dias 24 e 25 de Dezembro, segundo fonte da sua campanha.

Natural de Vinhó, concelho de Arganil, é aí que o candidato do PCP passará o Natal. Quanto à passagem de ano, será celebrada "na área metropolitana de Lisboa com a família e amigos", segundo fonte da sua campanha.

No entanto, para já, Francisco Lopes é o único que tem uma iniciativa de pré-campanha durante os períodos festivos. A 01 de Janeiro, protagonizará uma conferência de imprensa sobre os 25 anos da adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE).

Quanto ao presidente da Assistência Médica Internacional, Fernando Nobre, natural de Luanda, vai passar o Natal na sua residência, em Cascais.

“Em relação ao Natal e ao Ano Novo, o Dr. Fernando Nobre irá passar as festividades com a família mais próxima, como tem o hábito de fazer. Nestas datas não haverá, à partida, nenhuma acção de campanha", disse à Lusa o seu assessor.

Defensor Moura é um dos candidatos que regressa à sua terra para festejar o Natal e o Ano Novo, uma vez que durante a semana mora em Lisboa, para facilitar o desempenho do cargo de deputado, eleito pelo Partido Socialista.

"Sou o patriarca e reúno cerca de 30 pessoas em minha casa, em Viana do Castelo, tudo em família...irmãos, sobrinhos, netos...", disse o próprio à Lusa.

"O mais característico do meu Natal é que fazemos o bolo-rei em casa, no dia 23. Mas este ano não vou poder ajudar, por causa do debate com o professor Cavaco Silva", lamentou.

No período do Natal e da passagem de Ano, Defensor Moura não tem nenhuma iniciativa de pré-campanha agendada. Aliás, entre 29 de dezembro e 01 de janeiro vai delinear o programa da campanha juntamente com os apoiantes mais próximos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.