Candidato do PS pelo Corvo defende investimento privado no turismo

Regional /
Flores e Corvo

1302 visualizações   

O cabeça de lista do do PS pelo círculo do Corvo às eleições regionais dos Açores, Iasalde Nunes, defendeu hoje a necessidade de haver investimento privado na ilha, visando fixar os turistas na ilha.
 

 

“Temos necessidade de fixar os turistas no Corvo para evitar que as pessoas não se desloquem de manhã e voltem no mesmo dia à ilha das Flores”, disse hoje à agência Lusa Iasalde Nunes, destacando as vantagens para a economia local se os turistas ficarem uma semana ou 15 dias, por exemplo.

Considerando que o Governo dos Açores e a Câmara Municipal do Corvo “não se podem substituir aos privados”, Iasalde Nunes, que é de novo candidato, após ter sido eleito deputado em 2012, insistiu na necessidade de serem criadas empresas que gerem projetos na área do turismo.

O militante socialista, de 41 anos, nascido em Santa Cruz das Flores e a residir no Corvo, pretende, por outro lado, continuar a empenhar-se na luta por uma “taxa de desemprego de zero por cento” na ilha, o que reconhece que não funciona como fator de motivação para incentivar o investimento.

O candidato afirmou que o Corvo “está muito bem em relação a todas as outras ilhas” na área da educação, enquanto na saúde admitiu ser necessário “continuar a lutar” por haver mais deslocação de especialistas ao Corvo.

O deputado considerou ainda que o transporte aéreo de passageiros satisfaz a ilha, admitindo em relação ao escoamento de produtos que tem havido “dificuldades pontuais” com o pescado impostas pela capacidade de carga do tipo de aeronave da SATA que opera na ilha, face à dimensão da pista.

Iasalde Nunes afirmou ainda que, caso seja eleito, pretende, com o partido, “continuar a apoiar os jovens”, a par dos agricultores e pescadores.

O cabeça de lista adiantou que, contrariamente ao que acontece noutras ilhas, que são confrontadas com a desertificação, os jovens que saem para estudar voltam, havendo alguns casos pontuais de estudantes que procuram outras zonas geográficas porque “não há capacidade de emprego para determinadas áreas”.

O círculo do Corvo, o mais pequeno do arquipélago com 334 eleitores, elege dois deputados para o parlamento regional nas eleições de 16 de outubro.

Nas últimas eleições, em 2012, o PS conquistou 31 dos 57 lugares na Assembleia Legislativa regional, enquanto o PSD, o maior partido na oposição, conseguiu 20 mandatos. O CDS-PP tem três deputados no parlamento regional, enquanto BE, PCP e PPM conseguiram um mandato cada.