Candidato do PPM pela Graciosa quer mais ligações marítimas com a ilha


 

Lusa/AO Online   Regional   14 de Set de 2016, 06:46

O cabeça de lista do Partido Popular Monárquico (PPM) pelo círculo da Graciosa às eleições legislativas dos Açores quer que os barcos que asseguram as ligações no "Triângulo" operem na ilha, visando potenciar o turismo local.

 

“Os barcos da Atlânticoline que fazem as ligações com o ‘Triângulo’ (ilhas do Pico, Faial e São Jorge), designadamente o ‘Gilberto Mariano’ e ‘Mestre Simão’, que saem da Calheta de São Jorge para ir a Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, por que não vão a Santa Cruz da Graciosa?”, questionou o candidato.

Arlindo Picanço, de 40 anos, militante do PPM, residente na ilha do Faial e funcionário público, considerou que, pelo menos de junho a setembro, a operadora de transporte marítimo Atlânticoline deveria assegurar ligações com a Graciosa, visando "potenciar o turismo" e “unir o grupo central do arquipélago”.

O cabeça de lista apontou, ainda, que o barco ‘Santorini’, que assegura o transporte sazonal de passageiros e viaturas, de maio a setembro, entre todas as ilhas, exceto o Corvo, só opera na ilha de oito em oito dias, havendo a necessidade de haver outras ligações com a Graciosa.

Outras das “grandes preocupações” do candidato é o “processo de desertificação” em curso na ilha, uma vez que os jovens “saem para estudar e não regressam à Graciosa porque não têm postos de trabalho”.

Para colmatar esta situação, Arlindo Picanço defendeu a necessidade de cativar investimento privado para criar postos de trabalho, bem como o recurso a programas como o Recuperar, iniciativa do Governo dos Açores que visa a inserção profissional e social de desempregados não subsidiados.

Arlindo Picanço quer ainda uma rede de escoamento do pescado eficaz, através de um barco ou cargueiro aéreo, uma vez que “o peixe tem de chegar ao mercado a tempo e horas, fresco”, o mesmo se aplicando à carne.

Na área da saúde, apontou a importância de se reverem procedimentos no centro de saúde local, que considerou “não funcionar da melhor forma”.

A Graciosa, ilha com um único concelho, tinha o ano passado 4.339 habitantes, segundo as estimativas provisórias da população residente do Instituto Nacional de Estatística.

As eleições legislativas regionais realizam-se a 16 de outubro e o círculo da Graciosa elege três deputados.

Nas últimas, em 2012, o PS conquistou 31 dos 57 lugares do parlamento regional, enquanto o PSD, o maior partido na oposição, obteve 20 mandatos. O CDS-PP tem três deputados e BE, PCP e PPM conseguiram um mandato cada.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.