Candidato do BE defende diversificação da economia da ilha Terceira

Candidato do BE defende diversificação da economia da ilha Terceira

 

LUSA/AO online   Regional   24 de Ago de 2016, 13:23

O cabeça de lista do BE pelo círculo eleitoral da Terceira às próximas eleições legislativas regionais nos Açores, Paulo Mendes, considera que a ilha não pode estar dependente apenas do setor leiteiro e da base das Lajes

"As nossas propostas têm a ver com a diversificação da atividade económica da ilha, para não continuarmos tão dependentes e tão vulneráveis a estas duas grandes apostas que foram feitas nas últimas décadas nos Açores: o setor leiteiro e a base das Lajes, muito dependente dos interesses dos norte-americanos", frisou, em declarações à Lusa.

Para Paulo Mendes, a somar-se à falta de diversificação do setor agrícola, na ilha Terceira, há uma forte dependência da base das Lajes, que "em vez de ser um motor de criação de emprego, neste momento, é um motor de destruição de emprego".

"Pensamos que a região deverá ter uma forte influência junto do Governo da República para finalmente termos uma base das Lajes que funcione em prol dos nossos interesses. Seria muito mais proveitoso para a região termos um aproveitamento civil e comercial da base das Lajes", salientou.

O candidato do BE considerou ainda que é preciso evitar que se cometa o mesmo erro no futuro, ao transformar-se o turismo na nova dependência económica da ilha.

"Queremos um turismo, principalmente na ilha Terceira, em que temos uma cidade Património Mundial, mais ligado à natureza, à cultura e ao património histórico", defendeu, alegando que esse tipo de turismo é menos sazonal e, por isso, pode criar emprego mais sustentável.

Paulo Mendes, psicólogo, de 37 anos, é pela terceira vez consecutiva o cabeça de lista do Bloco de Esquerda pelo círculo eleitoral da ilha Terceira às eleições legislativas regionais.

Co-coordenador do BE/Açores desde 2014, foi deputado na atual legislatura, durante três meses, pelo círculo de compensação, em que o partido adotou um sistema de rotatividade.

O candidato bloquista admitiu que o partido gostaria de eleger um deputado pelo círculo eleitoral da ilha Terceira, mas reconheceu que será "muito difícil" alcançá-lo.

"Aumentar o número de votos é sempre o primeiro e grande objetivo. Gostaríamos imenso de replicar aqueles que foram os votos obtidos nas eleições legislativas de 2015, que já seria muito bom", frisou.

Nas últimas eleições regionais, que se realizaram a 14 de outubro de 2012, o BE obteve apenas 2,54% dos votos na ilha Terceira, tendo os 10 deputados deste círculo eleitoral ficado divididos entre PS (seis), PSD (três) e CDS-PP (um).

A nível regional, o partido conseguiu eleger um deputado, pelo círculo de compensação, à semelhança do PCP. O PS elegeu 31 dos 57 deputados da Assembleia Legislativa dos Açores, o PSD conquistou 20 mandatos, o CDS-PP três e o PPM um.

Nos Açores, onde o PS governa há 20 anos, há nove círculos eleitorais, coincidentes com cada uma das ilhas, e um círculo regional de compensação.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.