Cameron quer privatizar parques naturais para combater o défice

Cameron quer privatizar parques naturais para combater o défice

 

Lusa/AO Online   Internacional   18 de Ago de 2010, 06:50

O mesmo governo britânico que se declarou “o mais verde da história do país” está agora a considerar privatizar os seus parques naturais, entregando aos privados a gestão parcial ou total destes espaços.

O projeto, que foi muito criticado pelas associações ecologistas, faz parte de um pacote de drásticas medidas para combater o défice, que inclui o corte de até 40 por cento dos gastos com a proteção ambiental, noticia o diário espanhol El País.

Ciclista habitual antes de ter chegado a Downing Street e dono de uma casa com painéis solares, o primeiro ministro britânico, David Cameron, parece disposto a afastar-se das suas alegadas convicções ambientalistas, em nome da luta contra o défice.

O projeto do executivo, adiantado pelo diário britânico The Guardian, estuda a venda das reservas naturais, a redução dos recursos da agência que gere cerca de quatro mil quilómetros de canais e rios, e a semiprivatização da comissão florestal e do serviço meteorológico, pioneiro na investigação das alterações climáticas.

A decisão não deverá ser tomada até novembro e, seja qual for o seu alcance, o governo britânico espera alguma compreensão, já que também há cortes na educação e na saúde.

Vinte e cinco grupos que defendem a proteção da natureza enviaram a David Cameron uma carta em que se mostram preocupados com a intenção e as suas “consequências irreversíveis para a fauna, a natureza e os próprios habitantes”.

“As poupanças a curto prazo podem traduzir-se num custo de largo impacto para a nossa economia e para o bem-estar da população”, conclui o documento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.