Câmara das Lajes do Pico com orçamento de 6,5 ME em 2015


 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Jan de 2015, 07:43

A Assembleia Municipal das Lajes do Pico aprovou na noite de segunda-feira o orçamento municipal para 2015, de 6,5 milhões de euros, disse hoje o presidente da autarquia.

“É um valor um pouco mais baixo do que o orçamento de 2014, fruto do fecho do quadro comunitário anterior e de arranque do novo, em 2015”, declarou à agência Lusa Roberto Silva. Em 2014, o orçamento municipal foi de 8,89 milhões de euros.

Roberto Silva, eleito pelo PS, afirmou que, no âmbito dos investimentos a realizar em 2015 e nos anos subsequentes, deu-se “particular ênfase” à continuação da requalificação da frente marítima da vila das Lajes do Pico.

O autarca destacou a construção do novo posto do turismo, na praça dos Baleeiros, um investimento de 1,1 milhões de euros a realizar ao longo do mandato, disponibilizando-se no próximo ano 635 mil euros.

Roberto Silva vai canalizar para o abastecimento de água meio milhão de euros do orçamento, bem como transferir para a construção de parques empresariais nas Lajes do Pico e nas freguesias das Ribeiras e Piedade 650 milhões de euros, de um total de investimento de 3,1 milhões de euros.

O presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico quer investir também 385 mil euros na rede viária do concelho.

“Temos ainda um projeto inovador que é o aproveitamento da Lagoa do Paul para fins de produção de energia hidroelétrica e fornecimento de água a São João, Lajes e Ribeiras (em estudo), bem como à lavoura, numa parceria com a Empresa de Eletricidade dos Açores e o Instituto Regional de Ordenamento Agrário”, refere.

Roberto Silva apontou que o orçamento de 2015 contempla também medidas de caráter social para os idosos, estando ainda previstos apoios no âmbito do programa de empregabilidade do executivo açoriano, com o município a absorver desempregados.

O autarca destacou ainda apoios a instituições que operam na área da cultura e do desporto do concelho, entre outras.

O responsável considerou, por outro lado, que a dívida da câmara municipal, no valor de sete milhões de euros, “está controlada, estando em curso um plano de saneamento financeiro”.

“Trata-se do conjunto dos empréstimos contratualizados com a banca, com especial ênfase para o saneamento financeiro, iniciado em 2010, que arrumou a casa e pagou cinco milhões de euros encontrados aquando da nossa chegada ao município”, explicou o autarca.

Roberto Silva considerou que, já em 2017, a câmara pode voltar a recorrer à banca para financiar os projetos sem fundos comunitários.

O autarca lamentou que, com base nas transferências do Orçamento do Estado efetuadas para o poder local de 2011 a 2014, tendo como referência 2010, a Câmara das Lajes do Pico tenha perdido 1,9 milhões de euros, uma verba considerada “extremamente elevada” e que “condiciona a atividade do município”.

A autarquia possui entretanto uma empresa municipal em vias de ser extinta, a Cultura Pico, uma vez que é inviável face ao que determina a legislação em vigor. Os trabalhadores (à exceção de um) transitam para a câmara, tal como o passivo e o ativo.

O concelho das Lajes do Pico possui uma população de cerca de 4.500 pessoas, que se dedicam sobretudo à pecuária, à pesca, ao comércio, à construção civil e ao turismo.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.