Câmara açoriana da Povoação recua na aplicação de taxa turística municipal

Câmara açoriana da Povoação recua na aplicação de taxa turística municipal

 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Nov de 2014, 11:54

A Câmara Municipal da Povoação anunciou esta segunda-feira que não vai avançar com uma taxa turística municipal, justificando que "este não é um tempo favorável à aplicação" desta tarifa, medida que estava a ser muito contestada pelos empresários e população.

 

“Apesar de continuar a considerar uma boa proposta, pois ela aumentaria as receitas do nosso Concelho, sem qualquer custo para todos os povoacenses de todas as nossas freguesias, como presidente da Câmara não posso deixar de concluir que, apesar da bondade das suas consequências para todos nós, este não é um tempo favorável à aplicação desta taxa”, sustentou o presidente da autarquia, Carlos Ávila.

O autarca socialista, em comunicado, anunciou hoje que vai propor “na próxima reunião da Câmara Municipal que seja decidido o cancelamento deste processo”.

A proposta da taxa turística do concelho da Povoação, em São Miguel, nos Açores, foi aprovada por unanimidade (com os votos do PS e do PSD) em reunião da Câmara Municipal e aprovado na reunião da Assembleia Municipal, apenas com dois votos contra, e entrou em discussão pública que terminou na segunda-feira.

As taxas propostas para discussão pública variavam entre um euro e cinquenta cêntimos e iriam incidir sobre os turistas que visitassem a Povoação e que pernoitassem em unidades de alojamento do município.

A taxa seria aplicada a todas as pessoas com mais de 10 anos e por noite de estadia.

A medida estava também a ser contestada pela Junta de Freguesia das Furnas, que chegou admitir demitir-se se a Câmara não recuasse na aplicação da taxa turística municipal.

Hoje, o presidente da Câmara explicou, ainda, que durante o período de discussão pública, recebeu “o contributo verbal e escrito de vários empresários de alojamento turístico do concelho, da Mesa do Turismo da Câmara do Comércio de Ponta Delgada e de muitas outras pessoas que participaram do debate”.

Carlos Ávila revelou, também, que manteve "várias reuniões com os Membros do PS na Assembleia de Freguesia das Furnas", além do "contato permanente com o presidente e membros da Junta de Freguesia das Furnas que, sempre em diálogo com a Câmara, souberam lutar pelos interesses que acharam mais corretos".

O autarca sublinhou que os contactos e reuniões ajudaram "a refletir sobre esta proposta".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.