Droga

Bruxelas proíbe fabrico e comercialização da mefedrona


 

Lusa/AO online   Internacional   3 de Dez de 2010, 11:19

Os ministros da Justiça da União Europeia decidiram, em Bruxelas, proibir o fabrico e a comercialização da mefedrona, uma droga "perigosa" e próxima do ecstasy que ainda não é proibida em 12 Estados-membros, entre os quais Portugal.
A comissária europeia da Justiça, Viviane Reding, felicitou a decisão rápida dos governos europeus "na proibição desta droga perigosa", depois de o executivo comunitário ter feito uma proposta nesse sentido a 20 de Outubro último.

Esta droga não possui qualquer valor terapêutico estabelecido nem outros fins legítimos conhecidos, sendo um estimulante, cujos efeitos físicos são comparáveis aos do ecstasy (MDMA) ou da cocaína.

A mefedrona começou a ser comercializada em 2007 na Europa e é vendida principalmente sob a forma de pó, mas existe igualmente em cápsulas ou em comprimidos, na Internet, em estabelecimentos especializados (“head shops”).

Esta droga já foi proibida (produção, comercialização e venda) em 15 Estados-membros da União Europeia: Áustria, Bélgica, Dinamarca, Estónia, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Letónia, Luxemburgo, Malta, Polónia, Roménia, Suécia e Reino Unido.

Uma avaliação científica dos riscos, realizada pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT), com sede em Lisboa, mostrou que a mefedrona podia provocar graves problemas de saúde e dependência, tendo sido assinaladas mortes em relação com o seu consumo na Europa.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.