Liga Zon Sagres

Braga vence Nacional, sem convencer, mas salta para sexto

Braga vence Nacional, sem convencer, mas salta para sexto

 

Lusa/AOnline   Futebol   28 de Nov de 2010, 20:59

Um golo de Lima e outro de Paulo César deram uma importante vitória ao Sporting de Braga sobre o Nacional (2-0), saltando os minhotos para a sexta posição da Liga de futebol por troca com os insulares.

O Sporting de Braga, que vinha de três derrotas consecutivas no campeonato (e de um brilhante triunfo sobre o Arsenal, na Liga dos Campeões), venceu, mas não convenceu, sendo que o Nacional também nada fez para levar para a Madeira mais do que um ponto.

A partida ficou marcada por uma grande penalidade muito duvidosa que desempatou a partida e só na última jogada do encontro Paulo César dilatou a vantagem.

O intenso frio que se fazia sentir terá condicionado a prestação dos jogadores, mas isso não pode explicar totalmente a fraca qualidade que ambas as equipas patentearam, sobretudo na primeira parte.

No Braga, nota para a titularidade de Sílvio, Hugo Viana e Elton em detrimento de Miguel Garcia, Luís Aguiar e Alan, enquanto o treinador do Nacional repetiu o mesmo “onze” da última jornada.

O Sporting de Braga não conseguia criar lances de perigo, com exceção de um cabeceamento de Elton (12 minutos) com selo de golo, após canto da direita de Hugo Viana, mas que Stojanovic cortou quase sobre a linha de golo.

O Nacional apenas assustou o guarda-redes Felipe aos 33 minutos, mas o remate de Todorovic foi prensado pela defesa “arsenalista” e, aos 42 minutos, numa das raras ocasiões em que a defesa insular concedeu espaço, Matheus perdeu muito tempo quando estava em boa posição para alvejar a baliza.

O Braga surgiu transfigurado no reatamento, mais veloz e agressivo, e, aos 53 minutos, Moisés cabeceou à barra após canto de Hugo Viana da direita.

Aos 64 minutos, o árbitro, Pedro Proença, assinalou grande penalidade por suposta falta de Claudemir sobre Matheus (pareceu simulação do avançado). Na conversão, Moisés rematou muito denunciado permitindo a defesa de Bracali, mas na recarga Lima não perdoou.

Até ao final, nota para as expulsões (por segundo cartão amarelo) de Stojanovic e Salino, para uma perdida clamorosa de Matheus de cabeça (73 minutos) e para o segundo golo dos bracarenses, por Paulo César, concluindo, na última jogada do encontro (90+4), um rápido contra-ataque, no qual Hugo Viana, com um túnel isolando o brasileiro, teve papel preponderante.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.