BE questiona Governo sobre falta de anemómetro no aeroporto das Lajes

BE questiona Governo sobre falta de anemómetro no aeroporto das Lajes

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Jan de 2016, 17:21

O Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Defesa Nacional sobre a falta de um anemómetro (aparelho que mede o vento) no aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, alegando que a situação se arrasta desde 2013.

A falta do aparelho tem criado “transtornos à aviação civil e militar, sendo que os aviões continuam a levantar voo e a aterrar sem informações sobre as rajadas de vento", pode ler-se na pergunta entregue na Assembleia da República e assinada pelo deputado João Vasconcelos.

O parlamentar do BE alega que o equipamento utilizado atualmente "não disponibiliza a informação necessária e imposta pelas regras da Organização da Aviação Civil Internacional", acrescentando que o vento na pista das Lajes "tem sido medido por estimativa, desde 2013".

"A esta avaria somam-se os incidentes de estacionamento de aeronaves e a lentidão do processo da certificação para uso civil da pista das Lajes, com vista a dinamizar a economia local. É, por isso, necessário tomar posição de uma forma efetiva em defesa da correta manutenção do aeroporto das Lajes, com fins pacíficos, tendo em vista o seu aproveitamento em prol da revitalização tanto da economia regional, como da ilha Terceira", frisou.

Segundo a Força Aérea Portuguesa, o anemómetro do aeroporto das Lajes está inoperacional  há alguns meses, devido a um problema no ‘software', mas isso não limita a operação militar, uma vez que existem meios que permitem fazer estimativas do vento.

Os serviços de meteorologia são partilhados entre a Força Aérea Portuguesa e a Força Aérea norte-americana, nas Lajes, sendo o anemómetro propriedade da Força Aérea norte-americana, que estima ter o problema resolvido até ao início de abril.

O secretário regional do Turismo e Transportes dos Açores, Vítor Fraga, disse à Lusa que teve recentemente uma reunião com o ministro da Defesa em que transmitiu as preocupações do executivo açoriano "ao nível da flexibilização da utilização da base das Lajes para a aviação civil".

"O senhor ministro recebeu com boa nota todas as nossas preocupações e reivindicações e ficou de as analisar e de a seu tempo nos dar uma resposta para todos os pontos que foram levantados, o que nós esperamos que seja em breve, no sentido de tornarmos a base das Lajes cada vez mais flexível para a utilização da aviação civil", frisou.

Vítor Fraga disse, no entanto, que segundo a informação de que dispõe a inoperacionalidade do anemómetro das Lajes não condiciona a aviação civil, até porque "não há registo de algum voo que tenha sido cancelado por essa via".

Na pergunta entregue na Assembleia da República, o BE questiona o Governo sobre o que pretende fazer para que o anemómetro da ilha Terceira funcione de acordo com as normas internacionais.

Ainda em matéria de previsão meteorológica nos Açores, o deputado João Vasconcelos questiona o Governo sobre a possibilidade de instalação de um radar meteorológico na ilha de São Miguel, alegando que o único equipamento deste género existente no arquipélago pertence à Força Aérea norte-americana e poderá ser desativado mediante redução militar em curso na Base das Lajes.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.