Justiça

BE diz que queixa de Teixeira Pinto contra Louçã é ameaça "inaceitável"

BE diz que queixa de Teixeira Pinto contra Louçã é ameaça "inaceitável"

 

Lusa/AO online   Nacional   2 de Jan de 2010, 19:35

O Bloco de Esquerda classificou hoje o processo movido a Francisco Louçã por Paulo Teixeira Pinto, ex-presidente do Conselho de Administração do BCP, como "uma ameaça sem significado e inaceitável, que pretende limitar a liberdade de expressão".

Paulo Teixeira Pinto apresentou uma queixa-crime contra o coordenador do Bloco de Esquerda por este ter comentado, no dia 5 de Outubro de 2009, que uma iniciativa da Causa Real - o desembarque no Terreiro do Paço e um cortejo nocturno aos gritos de “Viva a Monarquia” - era uma acção "patusca" promovida por um "banqueiro milionário" associado ao período do colapso da liderança do BCP. Segundo referiu fonte do BE à agência Lusa, a queixa-crime contra Francisco Louçã - por "difamação e calúnia" - deu entrada no "final do ano" passado na Assembleia da República. O Bloco frisa em comunicado que "o próprio BCP já identificou em comunicação ao mercado de valores perdas no valor de centenas de milhões de euros referente ao período de administração de Jardim Gonçalves e de Teixeira Pinto", assinalando ainda que Teixeira Pinto "preside agora à Causa Real, um grupo de saudosistas monárquicos sem expressão política relevante".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.