Eleições

BE critica falta de transporte marítimo para Santa Maria há mês e meio

BE critica falta de transporte marítimo para Santa Maria há mês e meio

 

Lusa/AO online   Regional   10 de Out de 2016, 17:37

A cabeça de lista do BE/Açores por São Miguel criticou hoje o facto de não haver transporte marítimo de mercadorias para Santa Maria "há mais de um mês e meio", faltando bens de primeira necessidade à população.

"No entanto, o Governo dos Açores continua a pagar as obrigações de serviço público, com o dinheiro dos açorianos, à empresa privada que não cumpre com as suas obrigações", disse Zuraida Soares à agência Lusa, na sequência de uma ação de campanha eleitoral em Santa Maria.

A também coordenadora do BE exemplificou que nas mercearias e supermercados da ilha as prateleiras "começam a estar vazias de tudo e mais alguma coisa", acrescentando que o operador marítimo "está obrigado", em caso de avaria do navio ou encalhamento, ou outro imprevisto, a gerar uma alternativa.

A candidata referiu que se assiste a um "absoluto desprezo pela coesão territorial" e "falta de atenção pelo desenvolvimento harmonioso" de todas as ilhas, numa região já penalizada pela ultraperiferia, que se acentua em ilhas como Santa Maria.

Zuraida Soares, na sequência da reforma do transporte marítimo de mercadorias anunciada pelo líder do PS/Açores e presidente do Governo, questionou-se sobre se não se estará perante uma "privatização total" que "irá dar, como sempre, mais dinheiro aos privados" e "menos direitos às populações", sobretudo das ilhas mais pequenas, como é o caso de Santa Maria.

"Subscrevo o atual modelo de obrigações de serviço público. A privatização só trará problemas, sobretudo às ilhas mais pequenas, em número de toques, em situações em que, como não há lucro, não interessa levar os barcos, bem como na quantidade de contentores que são transportados", declarou.

Zuraida Soares considerou ser legítimo aos privados obterem lucro, mas ressalvou que as ilhas de menor dimensão "não dão lucro a ninguém", tendo o serviço prestado às populações pago com dinheiro público.

A candidata referiu que o dinheiro dos impostos dos açorianos deve ser justamente canalizado para assegurar o serviço público de transporte marítimo, aéreo, a mobilidade, o acesso à saúde e à educação.

A coordenadora regional do BE/Açores, num balanço da primeira semana de campanha, declarou que tem havido uma "adesão muito expressiva" das pessoas ao projeto e uma "esperança muito grande que, de facto, possa haver uma grande volta" na região.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.