Autoridades somalis anunciam fim de ataque ao palácio presidencial

Autoridades somalis anunciam fim de ataque ao palácio presidencial

 

Lusa/AO online   Internacional   8 de Jul de 2014, 18:26

Nove assaltantes foram esta terça-feira mortos durante um ataque ao palácio presidencial na capital da Somália e a situação está "sob controlo" das forças governamentais, garantiram responsáveis oficiais.

 

“Eram pelo menos nove atacantes, foram todos mortos e a situação está sob controlo, o ataque terminou”, referiu citado pela agência noticiosa AFP Abdi Ahmed, um dos responsáveis pelos serviços de segurança.

“Registaram-se oito explosões até ao final dos confrontos, pensamos que estavam munidos com cinturas de explosivos e detonaram-se a si próprios”.

Previamente, fontes dos serviços de segurança tinham garantido que o presidente somali não se encontrava no interior do palácio presidencial, atacado no final da tarde de hoje por combatentes das milícias islamitas ‘shebab’, e permanecia em local seguro.

As mesmas fontes referiram que o presidente Hassan Sheikh Mohamud não foi ferido e está sob a proteção dos soldados da força da União Africana (Amisom), com 22.000 homens no terreno.

Os islamitas somalis ‘shebab’, filiados na Al-Qaeda, tinham reivindicado o “controlo” do palácio presidencial na capital Mogadíscio.

“Os nossos combatentes estão no interior do designado palácio presidencial”, tinha garantido numa declaração o porta-voz militar dos ‘shebab’, Abdulaziz Abu Musab, em declarações à agência noticiosa AFP.

De acordo com polícias e testemunhas, homens fortemente armados desencadearam no final da tarde um ataque contra o palácio presidencial, atingido por bombas e numerosos disparos.

Em fevereiro o mesmo edifício tinha já sido alvo de um assalto semelhante dos ‘shebab’, que em maio atacaram o parlamento.

Expulsos da capital somali em 2011 Amisom, e de seguida da maioria dos seus bastiões do sul e centro da Somália, os ‘shebab’ continuam a controlar vastas zonas rurais.

Desde então têm optado por ações de guerrilha e atentados, em particular na capital de um país que se envolveu numa sangrenta guerra civil em 1991.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.