Autarca da Horta diz que TAP lhe confirmou que vai deixar de voar para ilha do Faial

Autarca da Horta diz que TAP lhe confirmou que vai deixar de voar para ilha do Faial

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Mar de 2015, 09:35

O presidente da câmara municipal da Horta, José Leonardo Silva, disse hoje ter confirmação da TAP de que a companhia aérea nacional tem intenção de deixar de voar para a ilha do Faial, Açores, a partir do final do mês.

Segundo disse o autarca José Leonardo Silva à agência Lusa, um administrador da TAP informou-o de que a empresa não pretende candidatar-se à rota que liga Lisboa ao Faial, uma das que continuará a ter obrigações de serviço público a partir de 29 de março, quando entrar em vigor um novo modelo de transporte aéreo entre os Açores e o continente.

Após o final do mês, duas rotas entre os Açores e o continente serão liberalizadas (voos de e para São Miguel e Terceira), mas outras três mantêm obrigações de serviço público (Faial, Pico e Santa Maria).

A comunicação social local tem noticiado, nos últimos dias, que a TAP vai deixar de voar para estas três últimas ilhas.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da transportadora aérea disse que a administração da empresa "tem estado em contacto com as autoridades regionais e locais, mantendo-as a par de como se perspetiva a operação da” companhia “para os Açores no âmbito das novas obrigações de serviço público" e que "logo que fique absolutamente definido o desenho global de toda a operação, a TAP informará o público".

A Lusa contactou também os autarcas do Pico, que disseram não ter ainda informação por parte da companhia aérea sobre os voos entre a ilha e o continente depois de 29 de março.

Quanto a Santa Maria, a TAP já não voa para a ilha há vários anos, sendo a SATA que transporta, em regime de ‘code-share’ (partilha de voos) os passageiros da companhia aérea nacional.

O autarca José Leonardo Silva lamentou que o Governo da República não tenha determinado "qualquer imposição no processo da privatização da TAP, para proteger rotas como as que ligam os Açores a Lisboa", insurgindo-se, em particular, pelo facto de o aeroporto da Horta deixar de receber os aviões da companhia aérea, rompendo uma ligação com mais de 30 anos.

José Leonardo Silva garantiu, ainda assim, que a município da Horta vai enviar uma "missiva" ao secretário de Estado que tutela os transportes, Sérgio Monteiro, no sentido de tentar reverter esta decisão, que considerou ser "prejudicial" para os Açores.

No início de janeiro, o presidente do Conselho de Administração da SATA, Luís Parreirão, afirmou que, se houver um "eventual desinvestimento" da TAP nos Açores, a companhia aérea açoriana tem “capacidade de resposta” para compensar.

Por outro lado, a SATA já anunciou que vai concorrer a todas as rotas com obrigações de serviço público nos Açores e continuar a operar nas rotas liberalizadas.

Atualmente, só a SATA e a TAP voam para os Açores.

As 'low cost' Ryanair e easyJet começam a voar para São Miguel, uma das rotas liberalizadas, a partir de abril.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.