Atentados na Argélia

Atentados na Argélia fazem 62 mortos

Atentados na Argélia fazem 62 mortos

 

Lusa / AO Online   Internacional   11 de Dez de 2007, 13:02

O chefe do governo argelino, Abdelaziz Belkhadem, afirmou hoje que "nada pode justificar o crime" numa primeira reacção aos dois atentados desta manhã em Argel que, segundo o mais recente balanço, fizeram 62 mortos e dezenas de feridos.
    "Um crime é um crime. Estes são crimes cometidos contra inocentes. Há estudantes, crianças da escola, entre as vítimas. Nada pode justificar o crime", disse Belkhadem à imprensa durante uma visita ao hospital de Beni Messous, onde estão hospitalizadas várias das vítimas.

    O conselho de ministros semanal previsto para hoje de manhã foi adiado devido aos dois atentados, cometidos com carros armadilhados, o primeiro junto ao Supremo Tribunal e ao Conselho Constitucional, no bairro de Ben Aknoun, e o outro perto da sede do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, no bairro vizinho de Hydra.

    No primeiro atentado, a explosão atingiu um autocarro escolar.

    O mais recente balanço, avançado por fontes hospitalares, dá conta de 62 mortos e um número ainda indeterminado de feridos, na ordem das várias dezenas.

    "O número de feridos, que estão em diferentes hospitais da capital, ainda é indeterminado. Deve ultrapassar a centena, com alguns em estado grave", disse uma fonte médica citada pela France Presse.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.