Associação agrícola açoriana alerta eurodeputados para custos elevados dos transportes

Associação agrícola açoriana alerta eurodeputados para custos elevados dos transportes

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Nov de 2015, 06:28

A Associação Agrícola da Ilha Terceira (AAIT), nos Açores, alertou hoje eurodeputados da Comissão de Agricultura do Parlamento Europeu para os custos elevados dos transportes na região, defendendo apoios extraordinários para os reduzir.

"Era preciso um POSEI (programa de apoio à agricultura) para os transportes que agilizasse quer os transportes interilhas, quer os transportes para o exterior, para os mercados para onde precisamos escoar os nossos produtos. Nós não podemos ser europeus com um custo diferente", frisou, em declarações aos jornalistas, José António Azevedo, presidente da AAIT.

O representante da lavoura terceirense falava à margem de uma reunião com um grupo de sete eurodeputados da Comissão de Agricultura e Desenvolvimento Rural, que visita quatro ilhas dos Açores.

Segundo José António Azevedo, os produtos agrícolas e agroindustriais são "perecíveis" e muitas vezes perdem uma semana de validade no transporte, por falta de ligações adequadas.

O presidente da AAIT considerou que os produtores açorianos não conseguem ser "competitivos", porque têm de pagar transporte terrestre e marítimo, o que encarece os seus produtos.

Os dois eurodeputados eleitos pelos Açores defenderam igualmente a necessidade de um apoio extraordinário ao transporte e consideraram que podem contar com a solidariedade do grupo de eurodeputados que se deslocou à região para defender essa medida no Parlamento Europeu.

Para a eurodeputada do PSD Sofia Ribeiro, que organizou a visita, o apoio não deverá passar, no entanto, pela criação de um POSEI específico, como o partido já defendeu nos Açores, tendo em conta que recentemente deixou de existir o POSEI Pescas.

"Não me parece que seja exequível conseguirmos definir um outro POSEI, mas a perceção clara que os eurodeputados levam daqui é de necessidade de termos um mecanismo específico para as regiões ultraperiféricas e que tem de ser adicional para os Açores, porque eles perceberam claramente que nos Açores existe uma dupla ultraperiferia, com as dificuldades internas entre ilhas e depois para o continente português e para outras partes do mundo", salientou.

Também Ricardo Serrão Santos, eurodeputado do PS, considerou que existe "solidariedade" por parte dos restantes membros da comitiva para defender apoios aos transportes na exportação de produtos agrícolas, lembrando que o transporte de um contentor de próteas da África do Sul para Amesterdão é metade do preço do que o mesmo transporte entre a ilha Terceira e Amesterdão.

"Encontrámos apoios e solidariedade para defendermos os pontos de vista que precisamos defender para tornar a nossa economia mais competitiva, discutir acerca da coesão territorial e defender que regiões como estas precisam de financiamentos e apoios acrescidos", frisou.

Na reunião com os eurodeputados, José António Azevedo sublinhou que o setor do leite na ilha Terceira atravessa "uma das piores crises de sempre", devido ao embargo russo e ao fim das quotas leiteiras, considerando que pode estar em causa a sustentabilidade do setor, se não forem adotados mecanismos de salvaguarda da produção de leite.

Nesse sentido, defendeu também a criação de uma legislação "mais transparente" relativa à comercialização, em que os ganhos fossem divididos equitativamente em toda a cadeia.

A delegação de eurodeputados iniciou uma visita de quatro dias aos Açores na segunda-feira, tendo já passado pelas ilhas de São Miguel e Terceira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.