Assange assinou um contrato de 1,5 milhões de dólares pela sua autobiografia

 Assange assinou um contrato de 1,5 milhões de dólares pela sua autobiografia

 

Lusa/AO Online   Internacional   26 de Dez de 2010, 06:52

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, anunciou hoje num jornal britânico que assinou um contrato de cerca de um milhão de libras (1,2 milhões de euros, 1,5 milhões de dólares) pela sua autobiografia.

Numa entrevista hoje publicada pelo Sunday Times, Julian Assange explicou que esta soma o ajudará a defender-se contra as acusações de agressões sexuais apresentadas por duas mulheres na Suécia.

“Não quero escrever este livro mas devo fazê-lo”, afirmou.

“Já gastei 200.000 libras em despesas de justiça e devo defender-me e manter o WikiLeaks a salvo”, acrescentou.

O australiano sublinhou que receberá 800.000 dólares (600.000 euros) de Alfred A. Knopf, o seu editor norte-americano, e 325.000 libras (380.000 euros, 500.000 dólares) do britânico Canongate.

Para além disso, outros contratos devem render-lhe 1,1 milhões de libras.

O australiano, que beneficia atualmente de um regime de liberdade condicional na Grã-Bretanha, é alvo de um pedido de extradição para a Suécia por “agressões sexuais”.

Por seu lado, Washington pondera processá-lo por espionagem após a divulgação no WikiLeaks de milhares de telegramas diplomáticos norte-americanos.

Detido a 07 de dezembro em Londres devido a um mandato de captura europeu, emitido pelas autoridades suecas, Julian Assange passou um total de nove dias na prisão.

A audiência sobre a sua eventual extradição para a Suécia começará a 7 de fevereiro.

No entanto, este processo pode durar vários meses, devido aos numerosos recursos possíveis.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.