Aplausos e música no funeral do presidente honorário do PS


 

Lusa/AO Online   Nacional   20 de Jan de 2016, 12:59

Música e aplausos ouviram-se hoje no funeral de António Almeida Santos, falecido na segunda-feira, e durante o qual marcaram presença muitos políticos de vários quadrantes e cidadãos anónimos.

Após ter estado em câmara ardente na Basílica da Estrela, a urna com os restos mortais do antigo presidente da Assembleia da República e presidente honorário do PS foi aplaudida à saída do templo e à chegada ao cemitério do Alto de São João.

O cortejo fúnebre, encabeçado por batedores da GNR, saiu da Basílica da Estrela por volta das 13:00 e passou pela Assembleia da República e pela sede do Partido Socialista, no Largo do Rato.

À passagem do carro fúnebre em frente à Assembleia da República, muitos deputados foram também para a escadaria aplaudir.

Por vontade de António Almeida Santos não houve cerimónia religiosa e o corpo foi cremado no cemitério do Alto de São João.

Dentro do cemitério ouviu-se ainda música, nomeadamente a “Valsa para o tempo que passou”, de António Portugal, interpretada pelos Alma de Coimbra, e ainda “Ré menor”, da autoria do próprio Almeida Santos, cantado pela associação dos antigos estudantes de Coimbra.

As duas interpretações foram acompanhadas pelos acordes de guitarra.

Foram muitas as personalidades públicas, com destaque para políticos de vários quadrantes, mas também cidadãos anónimos que marcaram presença no funeral do antigo presidente da Assembleia da República.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.