Ano letivo arranca nos Açores "com tranquilidade" a 14 de setembro


 

LUSA/AO online   Regional   3 de Jul de 2015, 14:43

O novo ano letivo arranca nos Açores a 14 de setembro, anunciou hoje o presidente do Governo Regional, frisando que o seu executivo pretende imprimir "tranquilidade" a este processo, ao invés de "noutras partes do país", onde "ainda está em aberto"

"Não só de obras se faz, ou se constroem, as condições necessárias para o nosso sistema educativo poder cumprir a sua função. Desde logo, na tranquilidade que queremos imprimir a todo este processo, estando já definido como 14 de setembro a data de arranque do ano escolar, uma vez que noutras partes do país ainda está em aberto”, disse Vasco Cordeiro.

O presidente do Governo dos Açores falava na cerimónia de lançamento da primeira pedra da Escola Básica/JI Gaspar Frutuoso, na Ribeira Grande, ilha de São Miguel, investimento de cerca de 16 milhões de euros com capacidade para 1.100 alunos e um prazo de execução de cerca de 17 meses.

Sublinhando a “envergadura” do investimento em causa, não apenas para aquele concelho da costa norte de São Miguel, “mas para toda a região”, Vasco Cordeiro disse que a obra se insere num “vasto” processo de melhoria das infraestruturas escolares que decorre nos Açores e anunciou que "na próxima semana irá a Conselho do Governo [Regional] o lançamento do concurso publico para a empreitada das novas instalações da Escola Canto da Maia, em Ponta Delgada", investimento de "cerca de 17 milhões de euros" com "um prazo de execução de cerca de 24 meses".

O presidente do Governo Regional salientou que a construção da nova escola "não é o único investimento público no concelho da Ribeira Grande", afirmando que nesta legislatura e "com este Governo em funções entraram já em funcionamento no concelho investimentos promovidos" ou "apoiados" pelo executivo açoriano que "ascendem a cerca de 60 milhões de euros", incluindo o estabelecimento de ensino cuja primeira pedra foi lançada hoje.

O presidente do executivo açoriano disse ainda que o Plano Integrado para a Promoção do Sucesso Escolar - Pró-Sucesso, um projeto apresentado em abril e cuja "fase de debate público terminou no início de junho", vai ser "implementado a partir do início do próximo ano letivo".

"Este é um passo e é sobretudo um passo que não tem resultados instantâneos. Não tem resultados mágicos. É um passo que demonstra desde logo a nossa vontade e determinação de encarar de frente este desafio com que nós estamos confrontados, mas é um passo que conta com o contributo de todos, a começar pelas famílias açorianas, onde a questão do sucesso educativo deve constituir uma prioridade de primeira ordem para que efetivamente possamos conduzir a nossa região para um novo patamar nesse âmbito", frisou, defendendo que o combate ao insucesso escolar "exige o contributo e a colaboração de todos".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.