Angra do Heroísmo regressa ao normal, mas com cautela

Angra do Heroísmo regressa ao normal, mas com cautela

 

LUSA/AO online   Regional   4 de Set de 2015, 19:33

O trânsito reabriu em quase todas as estradas de Angra do Heroísmo, depois de vários troços terem estado cortados devido à chuva forte que se registou esta tarde numa parte da ilha Terceira, nos Açores

"Já temos todas as vias desobstruídas, com uma exceção, que é a ligação do Posto Santo para o Espigão, onde há uma passagem hidráulica com danos estruturais", disse, em declarações à Lusa, Álamo Meneses, presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.

De acordo com o autarca, o troço que permanece encerrado levará "algumas semanas" a ser reaberto, mas há várias vias de circulação alternativas naquela zona.

Segundo o delegado regional do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Diamantino Henriques, entre as 14:00 e as 15:00 (hora local) a pluviosidade foi de 19 litros por metro quadrado numa parte da ilha Terceira, no grupo central, mas a chuva intensificou-se na hora seguinte, tendo-se registado 36 litros por metro quadrado entre as 15:00 e as 16:00.

O estado do tempo melhorou nas últimas horas na ilha, mas as autoridades mantém-se em alerta, até porque há um aviso amarelo do IPMA até às 20:00.

Segundo o meteorologista do IPMA Carlos Ramalho, a "linha de instabilidade" está-se a deslocar para leste, sendo possível que atinja a ilha de São Miguel (grupo oriental) nas próximas horas, para onde existe um aviso amarelo entre as 18:00 e as 22:00.

As chuvas fortes originaram o transbordo de duas ribeiras na ilha Terceira, tendo sido encerradas várias estradas, durante a tarde.

As operações de limpeza vão decorrer durante todo o dia amanhã, mas o autarca disse que não impedem a circulação dos automóveis.

O mau tempo provocou ainda inundações em habitações, tendo os Bombeiros Voluntários de Angra do Heroísmo recebido até ao momento 170 pedidos de ajuda, sobretudo nas freguesias da Ribeirinha e de São Bento.

Álamo Meneses disse que se registaram sete realojamentos, mas salientou que foram "inundações domésticas", que necessitam sobretudo de "limpeza" e que, por isso, as pessoas deverão regressar a casa "ao longo do dia de amanhã".

O autarca frisou, no entanto, que moradores e lojistas tiveram "prejuízos grandes", devido às inundações.

Também as estradas apresentam danos na calçada e nos pavimentos, que deverão demorar algum tempo a serem repostos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.