Alex causou pequenos estragos, "cancelou" voos e "fechou" tribunais

Alex causou pequenos estragos, "cancelou" voos e "fechou" tribunais

 

Lusa/AO Online   Regional   15 de Jan de 2016, 18:48

A passagem do furacão Alex, hoje, pelos Açores causou pequenos estragos, obrigou ao cancelamento de ligações aéreas e marítimas e ao encerramento de tribunais e escolas.

O fenómeno, o primeiro desta natureza a ocorrer em janeiro, em quase 80 anos, de acordo com meteorologistas norte-americanos, levou à emissão de aviso vermelho, o mais grave, para vento, agitação marítima e chuva para os grupos central (ilhas de São Jorge, Graciosa, Terceira, Faial e Pico) e oriental (ilhas de Santa Maria e São Miguel).

Contudo, pouco depois das 11:00 locais (12:00 em Lisboa), após o período considerado crítico, apenas havia a registar quedas de árvores, três inundações em habitações, sem qualquer necessidade de realojamento, e algumas derrocadas.

Algumas zonas da vila de Rabo de Peixe, em São Miguel, ficaram sem luz.

Temendo o pior, os habitantes da freguesia de São Roque, também na ilha de São Miguel, 'barricaram' casas.

Antecipando a chegada de 'Alex' ao arquipélago dos Açores, a transportadora açoriana SATA decidiu cancelar os voos que tinha agendado para de manhã entre as ilhas. As ligações entre Lisboa e Horta e um voo de Boston (EUA) para a Terceira foram também suprimidos.

A Atlânticoline, empresa pública de transporte marítimo de passageiros e viaturas, cancelou a viagem prevista para de manhã entre as ilhas do Faial, Pico e São Jorge.

O Governo Regional dos Açores recomendou o fecho de creches e jardins-de-infância e dos serviços públicos do Estado, nas sete ilhas do arquipélago com aviso extremo de mau tempo, com exceção de hospitais, centros de saúde e serviços da proteção civil.

Os tribunais estiveram fechados e não houve aulas nas escolas e na Universidade dos Açores.

O furacão passou a leste da Terceira, ilha do grupo central, para o qual eram esperadas rajadas que podiam atingir os 170 quilómetros por hora. Porém, a ilha acabou por ser afetada pela parte menos ativa do fenómeno.

O aviso vermelho foi levantado ao início da tarde, passando a amarelo, o segundo mais grave, devido à ondulação.

Durante a tarde, o 'Alex' passou a tempestade tropical.

O fenómeno não passou ao lado da campanha eleitoral para as presidenciais de 24 de janeiro, com o candidato Marcelo Rebelo de Sousa a telefonar para o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, para lhe "expressar solidariedade".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.