Justiça

Alberto Martins garante combate à tortura


 

Lusa / AO online   Nacional   27 de Mai de 2010, 15:40

O ministro da Justiça, Alberto Martins, garantiu esta quinta-feira um “combate veemente a todas as formas de tortura e tratamentos degradantes” que possam ocorrer em Portugal.
Alberto Martins comentava, assim, o relatório da Amnistia Internacional (AI), hoje divulgado, que denuncia a existência de “torturas cometidas por polícias e evidências de impunidade”, relatando os casos de Leonor Cipriano, mãe de Joana, uma menina desaparecida no Algarve em 2004, e de Virgolino Borges, funcionário da CP suspeito de roubo, que terão sido sujeitos a violência por agentes de autoridade.

O ministro disse que estes dois casos denunciados ocorreram em 2004 e 2005 e que estão a ser alvo de processos judiciais, ressalvando que “as milhares de investigações da Polícia Judiciária não mereceram nenhuma apreciação negativa da AI”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.