Agricultores dos Açores querem novo modelo de transporte de carga entre ilhas

Agricultores dos Açores querem novo modelo de transporte de carga entre ilhas

 

Lusa/AO Online   Regional   30 de Jul de 2015, 17:07

O presidente da Federação Agrícola dos Açores defendeu um novo modelo de transporte marítimo de carga entre as ilhas e para fora da região que responda às exigências dos mercados, algo que o Governo Regional prometeu analisar.

 

“O [atual] modelo não está adaptado aquilo que é as necessidades dos mercados hoje. As nossas transportadoras marítimas têm dificuldade em adaptar-se aquilo que é a realidade de hoje ao nível do transporte”, afirmou Jorge Rita, alegando ser necessário um novo modelo de transporte que permita aumentar a competitividade dos agricultores açorianos.

O presidente da Federação Agrícola dos Açores falava aos jornalistas após uma audiência com o presidente do Governo Regional dos Açores, onde foram abordados vários problemas relativos ao setor do leite e da carne.

A principal lacuna apontada pela Federação Agrícola ao atual modelo de transporte marítimo de carga dentro e para fora dos Açores prende-se com os circuitos efetuados, visto que há carga refrigerada quem tem de passar primeiro por várias ilhas antes de chegar ao destino final.

O presidente do Governo dos Açores disse que esta situação está a ser acompanhada pelo executivo e que se “o atual modelo não é capaz de dar uma resposta satisfatória às necessidades da economia, tem de se enveredar por outro caminho”, sem especificar qual.

Em relação ao setor da carne, Jorge Rita manifestou-se preocupado com a “baixa acentuada” do preço dos vitelões e a “saturação no mercado” com novilhos devido a “importações massivas” da Europa de Leste, “onde se praticam preços incomportáveis para os produtores açorianos”.

Quanto ao setor leiteiro o presidente da Federação Agrícola dos Açores referiu que as “baixas substanciais” no preço do leite estão a “asfixiar” os produtores locais, porque se está a vender leite abaixo dos custos de produção, havendo várias explorações em “falência técnica” no arquipélago.

“É difícil quantificar, mas existem muitos agricultores asfixiados devido à baixa do preço do leite”, afirmou Jorge Rita.

O chefe do executivo açoriano anunciou ainda que está em “fase de conclusão” uma linha de crédito destinada a reforçar a competitividade das explorações agrícolas, que poderá ser utilizada tanto para o reforço do fundo de maneio das explorações como para novos investimentos nas explorações.

Vasco Cordeiro adiantou que falta receber apenas dois ou três pareceres para que a nova linha de crédito possa ser disponibilizada aos agricultores “dentro em breve”.

O governante lembrou que o Governo Regional tem investimentos previstos de cerca de 15 milhões de euros nos matadouros de várias ilhas e quer evitar situações de “falta de equilíbrio” nas relações comerciais entre quem compra e quem vende.

No que diz respeito aos apoios à promoção e comercialização de produtos açorianos, entre os quais se incluem os produtos lácteos, Vasco Cordeiro referiu que, entre 2012 e hoje, já foram investidos 4,3 milhões de euros.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.