Liga Sagres

Afastado do título, FC Porto vence em Guimarães

Afastado do título, FC Porto vence em Guimarães

 

Lusa/Aonline   Futebol   18 de Abr de 2010, 21:45

O FC Porto, matematicamente afastado do título, derrotou o Vitória de Guimarães, por 3-0, com golos de Hulk, Guarin e Falcao, o qual voltou a igualar o benfiquista Cardozo na lista dos melhores marcadores
 Sem o castigado Ruben Micael, substituído por Belluschi, Jesualdo Ferreira operou mais quatro alterações em relação à última jornada da Liga, frente ao Rio Ave, com as entradas de Beto, Fucile, Guarin e Valeri para os lugares de Helton, Miguel Lopes, Tomas Costa e Raul Meireles.

O internacional brasileiro Helton foi baixa de última hora no onze dos “dragões”, devido a um traumatismo no metacarpo da falange da mão direita sofrido no aquecimento, que o levou a ser substituído por Beto.

O Vitória de Guimarães, a apostar forte na UEFA, subiu ao relvado do Dragão sem os castigados Flávio Meireles, Roberto, Andrezinho e João Alves mas com o recuperado Rui Miguel às ordens de Paulo Sérgio.

O encontro teve um início de sentido único, apenas para a baliza defendida pelo vimaranense Nilson, e com os portistas Falcao, aos 03 minutos, Belluschi, aos 6, e Hulk, aos 8, a tentar chegar ao golo.

A trocar bem a bola, embora em ritmo lento, exceção feita às incursões de Hulk, o FC Porto voltou a criar perigo por Falcão, aos 21 minutos, mas o guarda-redes Nilson negou o golo com uma sapatada para canto.

O FC Porto chegou à vantagem pelo brasileiro Hulk, aos 28 minutos, com um golo sul-americano, dado que surgiu na recarga a um cruzamento do argentino Valeri, que contou com um desviou no colombiano Falcao.

Hulk dedicou o golo em pleno relvado do Estádio do Dragão a Sapunaru, correndo para o banco dos suplentes, onde Helton lhe entregou uma camisola do romeno que o brasileiro atirou para a bancada.

Após o golo, o Vitória de Guimarães construiu a primeira ocasião de perigo para a baliza do FC Porto, com Rui Miguel a rematar de longe para defesa do guarda-redes Beto, até então mero espetador.

Aos 44 minutos, na sequência de uma perda de bola dos “dragões” em zona proibida, o Vitória voltou a criar perigo, mas o remate de Moreno, servido por Nuno Assis, saiu frouxo e à figura de Beto.

Antes do intervalo, o jogo foi sacudido por duas situações de golo iminente para cada uma das equipas, com Guarin a cabecear por cima da trave e Beto, com uma grande defesa, a negar o golo a Desmarets.

Na segunda parte, o jogo voltou à toada morna, mas com a bola a rondar ambas as balizas, primeiro através de um remate de Rui Miguel, aos 51 minutos, e depois num desvio de Gustavo Lazzaretti a centro de Belluschi.

O FC Porto aumentou a vantagem por Guarin (2-0), aos 56 minutos, através de um potente remate do colombiano a cerca de 30 metros da baliza do Vitória, idêntico ao golo marcado frente ao Rio Ave, para a Taça de Portugal.

O segundo golo deu mais tranquilidade à equipa dos “dragões”, que, a praticar um futebol simples e objetivo, voltou a criar perigo por Álvaro Pereira, aos 67 minutos, Hulk, aos 69, e Falcao, com uma bicicleta aos 72.

A jogar em crescendo, já justificando a obtenção de mais um golo, o FC Porto voltou a ameaçar a baliza do Vitória por Falcao, aos 75 minutos, e por Álvaro Pereira, aos 76, mas Nilson defendeu para canto.

O terceiro e último golo do encontro foi marcador por Falcao, na conversão de uma grande penalidade, aos 79 minutos, que permite ao colombiano ombrear com Cardozo pela coroa de melhor marcador da Liga.

A anteceder o jogo no Dragão, e por ironia do destino - dado que o FC Porto ficou matematicamente afastado do título com o triunfo do Benfica em Coimbra - o “capitão” Bruno Alves recebeu da FPF o troféu de campeão da última época.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.