Aeroportos açorianos vão manter-se encerrados por causa da nuvem de cinzas vulcânicas

Aeroportos açorianos vão manter-se encerrados  por causa da nuvem de cinzas vulcânicas

 

Lusa/AO On line   Regional   9 de Mai de 2010, 11:16

Os Aeroportos açorianos vão manter-se encerrados até novas informações da NAV, previstas para as 18h00. A núvem de cinzas vulcânicas, proveniente do vulcão da Islândia, está por cima do arquipélago impedindo a circulação aérea, dentro do arquipélago e para fora da região.

Ao todo, hoje deveriam realizar-se 30 voos da SATA AIR Açores, com 955 passageiros e 10 voos da SATA Internacional, com um total de 1390 passageiros, que para já permanecem terra. Esta manhã no Aeroporto João Paulo II foram cancelados os voos para Lisboa, Porto, Frankfurt e Funchal, bem como todas as ligações inter ilhas previstas.

 

 As condições devido à nuvem de cinzas vão manter-se também, na região do Porto, onde o espaço aéreo está encerrado, e em Lisboa preveem-se "constrangimentos à operação", disse hoje a porta-voz da NAV.

Sofia Azevedo explicou à Lusa que "a nuvem está a descer" e, com base nos dados disponíveis, preveem-se "constrangimentos à operação, no aeroporto de Lisboa, até final do dia".

"Até às 24:00 mantêm-se as condições", acrescentou.

Já foram afetados 66 voos, no Porto, e cancelados 39 ligações no aeroporto de Lisboa.

Em comunicado, a NAV - Navegação Aérea de Portugal referiu que, nos Açores, a nuvem de cinzas continua a cobrir todo o arquipélago e a impedir a realização da operação de aeronaves, e todos os aeroportos regionais estarão, assim, impedidos de servir o tráfego aéreo.

"A nuvem de cinzas vulcânicas que afeta a Região de Informação de Voo de Lisboa encontra-se sobre a zona oeste e central abrangendo ainda o noroeste do território nacional", segundo a NAV.

Estas condições verificam-se da superfície até aos 20 mil pés obrigando à criação de uma "zona de interdição de voo" que afeta o aeroporto Sá Carneiro, mas não abrange o espaço aéreo acima dos 20 mil pés, "o que significa que não existem restrições para os sobrevoos", especificou.

Quanto à previsão até às 24:00, aponta para uma situação "semelhante à atual com afetação da Região de Informação de Lisboa até aos 20 mil pés sendo o movimento da nuvem de cinzas, para sul e sudeste".

Assim, espera-se "a continuação dos constrangimentos operacionais para o Aeroporto Sá Carneiro e eventuais atrasos para a operação de Lisboa e Cascais".

Por outro lado, nos Açores, na região de Santa Maria, "a maior contaminação do espaço aéreo apenas está a permitir o uso para sobrevoos de uma pequena faixa com largura de 100 milhas na parte sudeste da nossa Região de Controlo para a finalidade de contornar a nuvem".

Isso afeta todo o tráfego transatlântico que "passou a dispor de muito poucas soluções para usar o espaço aéreo de Santa Maria. Prevê-se a manutenção dessa situação pelo menos até às 18:00", acrescenta a NAV.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.