Aeroporto: PSD defende manutenção da Portela e construção faseada em Alcochete


 

Lusa / Ao online   Economia   16 de Dez de 2007, 11:14

O Partido Social Democrata (PSD) defendeu como solução para um novo aeroporto o aproveitamento da Portela "até à exaustão" e a construção de uma segunda estrutura em Alcochete de forma faseada de acordo com as necessidades.
    A "clarificação" da posição do PSD foi assumida hoje no segundo Conselho Nacional da presidência de Luís Filipe Menezes, em Bragança, em cumprimento de uma promessa a esta cidade durante a campanha para a liderança do partido.

    O secretário-geral do PSD, Ribau Esteves, deu conta à Comunicação Social das conclusões deste conselho em que a escolha da localização do novo aeroporto fez parte da ordem de trabalhos.

    Segundo disse, a posição do principal partido da oposição "é clara em relação a esta matéria", defendendo a manutenção da Portela.

    "Entendemos que o país tem de rentabilizar até à exaustão os cerca de 400 milhões de euros que têm sido investidos nos últimos anos no actual aeroporto de Lisboa", afirmou.

    O PSD defende também a construção de um segundo aeroporto na margem sul, entendendo que Alcochete "é mais favorável do que a tradicional opção da Ota".

    "Entendemos que com os dados que temos em cima da mesa, a solução na margem sul, nomeadamente em Alcochete, é em princípio aquela que melhor defende o conjunto dos interesses que estão em causa", afirmou.

    O PSD defende ainda que "essa nova solução deve ser construída de forma faseada para acompanhar, por um lado, o crescimento do tráfego, e por outro lado a tal rentabilização da Portela".

    Ribau Esteves realçou o facto de o principal partido da oposição ter clarificado a sua posição enquanto que o Governo ainda não tomou uma decisão sobre o assunto.

    "O que é surrealista é o Governo, que tem todos os instrumentos de análise técnica e de decisão política, continuar a adiar, meses apôs meses, a decisão", declarou.

    O secretário-geral do PSD recordou que "esta matéria já esteve para ser discutida, foi adiada, e teve recentemente mais um adiamento" para Janeiro.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.