Açores esperam que visita do PM dê "grande impulso" à resolução de dossiê das ligações aéreas

Açores esperam que visita do PM dê "grande impulso" à resolução de dossiê das ligações aéreas

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Out de 2014, 13:13

O presidente do Governo dos Açores disse hoje esperar que a visita do primeiro-ministro à região, na próxima semana, sirva para "dar um grande" impulso à resolução de dossiês como a liberalização das ligações aéreas ao arquipélago e a RTP.

“Penso que esta pode ser uma boa oportunidade para dar um grande impulso na resolução destes dossiês e, se não resolvê-los definitivamente, pelo menos, habilitar, desde logo, o senhor primeiro-ministro e a comitiva que o acompanha, a um conhecimento mais detalhado, mais aturado, daquelas que são as questões inerentes a esses dossiês”, disse Vasco Cordeiro.

Em relação à revisão das obrigações de serviço público no transporte aéreo para os Açores, que prevê a liberalização das rotas entre o continente e as ilhas de São Miguel e Terceira, Vasco Cordeiro referiu não ter “motivo nenhum para pôr em causa a vontade do Governo da República em cumprir o que foi acordado”, acrescentando que o processo está pendente, aparentemente, por causa de “questões procedimentais”.

Os governos dos Açores e da República acordaram um novo modelo de ligações aéreas para a região, que foi anunciado em julho, que prevê a liberalização total das rotas entre o continente e duas ilhas e uma tarifa máxima para todos os residentes no arquipélago de 134 euros nestas mesmas ligações.

A expetativa do executivo açoriano é que o novo modelo esteja em vigor no início da época alta de 2015 (a partir de março), depois de receber luz verde da Comissão Europeia e de o Governo da República aprovar os diplomas necessários em Conselho de Ministros, o que ainda não aconteceu.

O socialista Vasco Cordeiro admitiu ainda tratar com Passos Coelho a questão da base das Lajes, usada pela Força Aérea dos Estados Unidos da América, mas de onde a administração norte-americana pondera retirar parte significativa do contingente que ali tem.

Outro “bom assunto” para abordar com Passos Coelho, segundo Vasco Cordeiro, é a cimeira luso-cabo-verdiana prevista para dezembro e que será centrada nas questões do mar e da cooperação regional no Atlântico.

“Os Açores não foram convidados e não foram informados de nada e aí está um bom assunto também para falar com o senhor primeiro-ministro”, disse Vasco Cordeiro, que falava aos jornalistas em São Roque do Pico, à margem da visita à ilha do Pico que o executivo açoriano termina hoje.

O primeiro-ministro desloca-se ao arquipélago dos Açores entre 26 e 29 de outubro, com reuniões e visitas em quatro das nove ilhas.

De acordo com o programa oficial, Pedro Passos Coelho, além de se reunir com Vasco Cordeiro, visitará a fábrica Unileite (na ilha de São Miguel), o departamento de oceanografia e pescas da Universidade dos Açores (no Faial) e a base militar das Lajes (Terceira).

A quarta ilha que visitará é o Pico, onde passará pelo museu da vinha e pela zona classificada do Lajido como património da Humanidade da Unesco.

"Naturalmente que estamos satisfeitos que haja esta visita e o senhor primeiro-ministro, como todos aqueles que vêm por bem, será muito bem recebido", disse Vasco Cordeiro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.