Açores dão projeção internacional ao país e Estado desaproveita

Açores dão projeção internacional ao país e Estado desaproveita

 

Lusa/AO Online   Regional   20 de Mai de 2015, 13:45

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, condenou hoje "a incapacidade" do país em aproveitar o potencial da localização do arquipélago para a projeção internacional de Portugal.

Vasco Cordeiro falava na inauguração da estação da ilha de Santa Maria da Rede Atlântica de Estações Geodinâmicas e Espaciais (RAEGE), projeto que resulta de uma cooperação entre o Governo dos Açores e do Governo de Espanha, e que, para o presidente o executivo regional, é um exemplo "da projeção" que os Açores dão ao país.

"Desde logo pela localização, pela sua posição geográfica. Mas se neste caso concreto, desta estação, desta rede, isto foi feito apenas pela vontade e com os recursos financeiros do Governo Regional, tal facto não constitui, para nós, motivo de preocupação. Maior preocupação é o facto de ele demonstrar a incapacidade que o Estado demonstra, na generalidade das situações, em aproveitar o potencial que a localização geográfica dos Açores apresenta para a projeção do nosso país num conjunto vasto de domínios", afirmou.

Entre esses "domínios" estão, apontou Vasco Cordeiro, diversas áreas científicas e tecnológicas, mas também outras relacionadas com o mar.

"Se hoje estamos a falar na área espacial, da astrometria, também poderíamos falar do mar, deste potencial imenso que pela sua localização os Açores garantem para a projeção do nosso país, da qual o exemplo mais palpável será talvez o processo de extensão da plataforma continental", afirmou.

Vasco Cordeiro garantiu que o Governo Regional dos Açores vai continuar a apostar na "valorização da região" nestas áreas associadas à tecnologia e à ciência, lembrando que há outros projetos a funcionar ou em desenvolvimento na ilha de Santa Maria e na Graciosa, por exemplo, alguns deles ligados à Agência Espacial Europeia (ESA).

A estação da RAEGE de Santa Maria hoje inaugurada foi batizada com o nome "Colombo", por o navegador ter passado pela ilha quando regressava a Espanha depois de ter descoberto a América, explicou, por seu turno, o diretor do Instituto Geográfico Nacional de Espanha, Amador Córdoba, entidade do Governo espanhol que tutela o projeto da RAEGE.

Amador Córdoba destacou a importância desta rede, que integra um projeto global que prevê a instalação de 40 radiotelescópios VLBI (interferometria de base muito longa) nos cinco continentes, com aplicações em áreas de grande impacto económico e social, como são as alterações climáticas a navegação satélite ou os alertas de riscos naturais.

A inauguração da estação de Santa Maria foi feita no âmbito do 22.º Encontro Europeu do Grupo VLBI (Very Long Baseline Interferometry) de Geodesia e Astrometria – EVGA, que decorreu nos Açores nos últimos dois dias e reuniu uma centena de especialistas de 17 países nesta área.

A presença destes "cientistas de topo" na inauguração desta estação da RAEGE "confirma a relevância do projeto", considerou Amador Córdoba, que garantiu que Espanha quer desenvolver esta colaboração com os Açores e assegurar "um papel importante" em projetos de "alto nível" como este em conjunto com o arquipélago português.

A primeira pedra da estação de Santa Maria da RAEGE foi lançada em abril de 2013, com um custo então estimado de cinco milhões de euros, cofinanciados por fundos europeus, sendo três milhões assegurados pelo Ministério do Fomento de Espanha e dois milhões pelo Governo Regional dos Açores.

A rede prevê a construção de quatro estações deste tipo, num investimento global de 25 milhões de euros.

Além da de Santa Maria, foi já inaugurada uma outra em Yebes, Guadalajara (Espanha). A terceira ficará nas Canárias e está em construção. A quarta está prevista para 2017, na ilha das Flores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.