Açores criam plataforma digital de exames de imagiologia comum a todas as unidades de saúde

Regional /

793 visualizações   

As unidades do Serviço Regional de Saúde dos Açores vão passar a ter acesso aos exames de imagiologia feitos noutras unidades, a partir de 2018, através de uma plataforma digital comum, anunciou hoje o Governo Regional
 

"O sistema consistirá numa plataforma única que poderá ser acessível por todas as unidades de saúde (centros de saúde, hospitais e centro de oncologia) do Serviço Regional de Saúde, onde existirá uma base de dados, onde estarão disponíveis todos os resultados de exames de imagiologia da região”, revelou, em declarações à Lusa, João Macedo, vogal da Saudaçor, Sociedade Gestora de Recursos e Equipamentos da Saúde dos Açores.

O Sistema de Informação de Imagiologia já foi adjudicado, por concurso público, e, segundo o executivo, deverá estar a funcionar no início de 2018, em todos os centros de saúde e hospitais da região, bem como no Centro de Oncologia dos Açores, podendo também alargar-se às entidades convencionadas.

Atualmente, já existe uma plataforma semelhante para as análises clínicas e os médicos já têm acesso ao processo clínico dos utentes por via digital, mas o acesso aos exames de imagiologia, como raio-x e TAC (tomografia computorizada), estava limitado aos hospitais.

A partir de 2018, "qualquer centro de saúde poderá ter acesso imediato a exames efetuados por um doente num hospital e vice-versa".

Segundo João Macedo, o novo sistema vai permitir uma maior rapidez na leitura dos exames e uma maior rentabilização dos recursos existentes, tendo em conta que as unidades onde é feito o exame nem sempre têm médicos disponíveis para o interpretar.

“Isto permite que possamos ter um médico em São Miguel a ver um exame da Terceira ou inclusivamente um médico em Lisboa a ver um exame da Terceira. Permite que haja uma gestão de recursos muito mais eficiente, porque evita que tenha de haver a deslocação ou do utente, ou do médico, ou dos próprios exames fisicamente”, salientou.

O sistema poderá integrar no futuro exames de outras áreas, como cardiologia, anatomopatologia ou gastroenterologia.

“É uma plataforma que está criada e pensada para essa evolução futura. Tem um conjunto muito alargado de compatibilidades possíveis”, adiantou o vogal da Saudaçor.

O Sistema de Informação de Imagiologia dos Açores custou cerca de 1,2 milhões de euros, tendo comparticipação de fundos comunitários.