Açores admitem aumentar carga horária de Português e Matemática no ensino básico

Açores admitem aumentar carga horária de Português e Matemática no ensino básico

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Set de 2014, 13:55

O secretário regional da Educação dos Açores admitiu hoje aumentar a carga horária de Português e Matemática na região, avançando ainda que o executivo vai delinear no decurso deste ano letivo um plano integrado de promoção do sucesso escolar.

“Em sede de uma eventual alteração legislativa, toda esta matriz curricular regional será efetivamente ponderada e aí não se analisará apenas a maior ou menor carga de Português e Matemática. Analisar-se-á a maior ou menor carga em todas as disciplinas, porque também, como se sabe, há também um problema e uma reivindicação em redor das Ciências da Natureza”, afirmou Avelino Meneses, em declarações aos jornalistas.

O titular pela pasta da Educação nos Açores falava após a sessão de abertura do Encontro Regional de Professores de Matemática, na Escola Básica e Integrada dos Ginetes, no concelho de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

Recentemente, o Sindicato Democrático dos Professores dos Açores (SDPA) propôs o alargamento da carga horária semanal de Português e Matemática nos 1.º e 2.º ciclos do ensino básico, de modo a ser igual à que existe nas escolas do continente (nos Açores os alunos têm menos uma hora de aulas por semana em cada uma destas disciplinas).

Avelino Meneses disse que a questão "será analisada" em sede de revisão de legislação e caso se concluir que é necessário aumentar, "naturalmente que será feito".

O secretário regional lembrou que a carga horária de Português e de Matemática nos Açores "já foi superior à do continente", mas está agora "ligeiramente atrás" na "sequência de uma alteração legislativa muito recentemente introduzida no continente", mas a questão "está a ser ultrapassada com o reforço da formação" dos professores daquelas disciplinas e com "o denominado crédito horário".

“Estamos a solucionar isso através do apoio à Matemática e ao Português”, salientou, avançando ainda que o Governo Regional pretende, no decurso deste ano letivo, pensar "num plano integrado de promoção do sucesso escolar" que possa ser implementado a partir de 2015/2016.

Avelino Meneses disse que os Açores têm procurado "soluções" para "o flagelo" do insucesso escolar, sendo que "alguns destes remédios começam a dar alguns sinais positivos".

A nossa intenção é de, no decurso deste ano letivo 2014/2015, pensar num plano integrado que, "mais do que de combate ao insucesso escolar, seja de promoção do sucesso escolar e que possa ser implementado a partir de 2015/2016”, disse, lembrando ser "justo divulgar também os bons resultados dos Açores", exemplificando com o caso dos exames de Inglês dirigidos pela Universidade de Cambridge.

Em relação aos conteúdos dos programas de ensino, com alguns docentes a criticarem a alteração de ano para ano, o governante disse que "o Governo Regional pode ponderar esta matéria quando vier a ponderar a matriz curricular regional".

Por outro lado, adiantou que os manuais escolares vão continuar a ser emprestados sem caução aos alunos beneficiários da Ação Social Escolar e “com caução” aos não beneficiários, mas todos têm obrigatoriedade de os devolver às escolas no fim do ano.

Além disso, e tal como já estava programado, este ano será alargado o empréstimo dos manuais até ao 3.º ciclo e, no próximo ano, para o secundário, mas o secretário regional avançou que está a ser preparado "um novo diploma de enquadramento da Ação Social dos Açores".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.