1500 alegados milagres sugeridos para provar santidade de João Paulo II


 

Lusa/AO Online   Internacional   4 de Dez de 2010, 07:56

Um bebé que nasceu saudável quando tudo indicava que teria graves malformações e a cura inexplicável de um doente cardíaco foram alguns dos 1500 alegados milagres apresentados ao sacerdote responsável por provar a santidade de João Paulo II.

Slawomir Oder encontra-se em Lisboa para o lançamento do livro "João Paulo II Santo", no qual conta o seu trabalho de cinco anos de investigação e recolha de testemunhos, provas e episódios que provassem a santidade de Karol Wojtyla.

Em entrevista à Lusa, explicou que a fase fundamental do processo com vista à beatificação do papa João Paulo II está completa, faltando agora que a Congregação para a Causa dos Santos conclua o estudo do caso apresentado como milagre. Esta fase, que decorre em segredo no interior da congregação, termina após análise por uma comissão médica, a seguir por uma comissão de teólogos e por fim pela comissão de bispos e cardeais, que entregam depois a sua conclusão ao papa Bento XVI.

"Espero que possa concluir-se o mais cedo possível porque o reconhecimento do milagre abrirá o caminho para a celebração litúrgica da beatificação", disse à Lusa Slawomir Oder, escusando-se no entanto a fazer uma previsão de quando isso poderá ocorrer.

O caso apresentado como milagre realizado por intercessão de João Paulo II é o da madre francesa Marie Simon-Pierre, da congregação das Irmãzinhas das Maternidades Católicas, curada sem explicação médica da doença de Parkinson em 2005.

Questionado sobre o caso, Slawomir Oder, que funciona como advogado pela canonização de João Paulo II, explicou que o primeiro relato do acontecimento lhe chegou dois meses depois da morte do papa.

"O papa morreu em abril. Em junho aconteceu o caso extraordinário. Pouco depois foi-mo assinalado em Roma", contou. "Chegou-me uma carta que me tocou muito pela sua simplicidade, pela humildade da forma como estava escrita, mas também pela excecionalidade do facto".

Como esta carta, chegaram muitas. Cerca de 1500, segundo as suas estimativas. São casos de graças obtidas por intercessão de João Paulo II que dizem respeito a curas de doenças e muitos casos de maternidade em casais que durante anos sofreram de infertilidade, explicou.

"Estes 1500 casos são seguramente graças obtidas, mas um milagre é uma coisa muito bem definida na jurisprudência da congregação", disse à Lusa, acrescentando que se concentrou no caso de Marie Saint-Pierre, mas havia "mais dois ou três com sabor a milagre".

Um, proveniente da Alemanha, dizia respeito a "uma gravidez muito difícil, com a previsão de um bebé mal-formado. A fé e a oração dos pais fez com que o bebé nascesse sem problemas". O outro diz respeito à cura inexplicável de uma doença cardíaca. Também houve casos provenientes de Portugal, embora Slawomir Oder não se recorde de nenhum em concreto.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.