Assembleia Legislativa Regional

Anterior Governo deixou dívida de 200 milhões de euros à região

Regional /
Duarte Freitas

858 visualizações   

O líder da bancada do PSD na Assembleia Legislativa dos Açores, Duarte Freitas, afirmou que o anterior governo deixou uma dívida de 200 milhões de euros ao Governo dos Açores.
 
O parlamentar social-democrata, que falava na sessão da Assembleia Legislativa, disse que, e segundo os seus cálculos o governo José Sócrates não pagou a dívida do Estado às autarquias açorianas (8 milhões de euros); do IRS (5 M€); da convergência do tarifário eléctrico (40 M€); das indemnizações compensatórias à SATA (16 M€); do cabo de fibra ótica (20 M€); dos atrasos da ADSE (10 M€) e das verbas do Fundo de Coesão para o Plano de Gestão de Resíduos (100 M€).

“Na relação com os Açores, o Governo de Sócrates deixou pendentes mais de 200 milhões de euros”, acusou Duarte Freitas, que disse estranhar o silêncio do executivo de Carlos César em relação a esta matéria.

O líder da bancada social-democrata garantiu, no entanto,

que o seu partido tudo fará para que o novo Governo da República, cumpra os seus compromissos com a Região.

“Mais do que denunciar estes valores e compromissos não consumados, e mais do que questionar os silêncios cúmplices do PS/Açores, o PSD quer dizer que exige o seu cumprimento por parte do actual governo de Passos Coelho, dentro da legalidade e no quadro financeiro a que estamos sujeitos”, frisou.

O Governo Regional dos Açores nega, no entanto, que o anterior primeiro-ministro tenha deixado uma dívida de 200 milhões de euros aos cofres da Região, admitindo apenas um atraso de transferências de verbas na ordem dos 13 milhões de euros.

“É completamente falso que o Governo do engenheiro Sócrates tenha deixado uma dívida de 200 milhões de euros à região”, acusou o vice-presidente do Governo, Sérgio Ávila, durante o debate parlamentar.

O governante, que gera a pasta das Finanças no arquipélago, garantiu que a maioria das verbas denunciadas pelo PSD já foram transferidas ou estão em vias de o ser, admitindo apenas que estão por saldar cerca de 13 milhões de euros, verba que espera que o novo Governo transfira o quanto antes.

Sérgio Ávila acusou também o PSD de estar a “mentir” e a “deturpar os números”, apenas com a intenção alimentar “conflitos” entre o Governo dos Açores e o novo Governo da República.