Vasco Cordeiro valoriza crescimento económico dos Açores mas recusa "deslumbramentos"


 

Lusa / AO online   Regional   21 de Mai de 2018, 11:46

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, valorizou hoje os indicadores económicos da região, nomeadamente em áreas como o Turismo e a subida do emprego, mas recusou "deslumbramentos", apesar do "poderoso incentivo" dos números.


"Interessa afirmar, de forma clara e inequívoca, que não há tempo nem espaço para deslumbramentos individuais ou coletivos. Mais do que um motivo de satisfação, o caminho percorrido e, sobretudo, os resultados alcançados, naquilo que têm de recuperação, de melhoria e de crescimento, constituem para nós um poderoso incentivo para, comprovado o mérito global do trajeto que temos delineado, corrigir o que se impõe corrigir, melhorar o que já está a ser bem feito e fazer o que ainda falta fazer", vincou o governante.

Vasco Cordeiro falava na Madalena, em intervenção a propósito do Dia da Região Autónoma dos Açores, cujas celebrações decorrem hoje na ilha do Pico.

Para o líder do executivo açoriano, "os mais diversos setores de atividade económica deram", entre o Dia da Região do ano passado e o deste, "sinais evidentes e consistentes de uma recuperação há muito ambicionada, há muito esperada".

"Ao nível do emprego, no primeiro trimestre deste ano, atingimos 15 trimestres sucessivos com descidas homólogas da taxa de desemprego e entramos já no 6.º trimestre sucessivo de aumento homólogo da população empregada", sintetizou.

Vasco Cordeiro sublinhou ainda que, em 2017, "os Açores ultrapassaram, pela primeira na sua história, a fasquia dos 4 mil milhões de euros de riqueza produzida num só ano" e no Turismo houve "mais de 2,3 milhões de dormidas e cerca de 800 mil hóspedes", um recorde na região autónoma, que gerou proveitos de 90 milhões de euros.

"Se é certo que, em algumas áreas da nossa economia, os sinais de recuperação não são tão intensos quanto nós gostaríamos -- refiro-me, por exemplo, aos casos do preço do leite pago aos nossos agricultores ou ao rendimento que os nossos pescadores retiram da sua atividade -, o facto é que é possível hoje afirmar que, bem para além dos setores e indicadores que referi, os Açores estão a fazer um caminho intenso, consistente, efetivo e verificável de recuperação e crescimento económicos", prosseguiu o chefe do executivo açoriano.

O Dia da Região Autónoma dos Açores foi instituído pela Assembleia Legislativa em 1980.

A data, feriado regional, celebra a "afirmação da identidade dos açorianos, da sua filosofia de vida e da sua unidade regional", consideradas "base e justificação da autonomia política que lhes foi reconhecida e que orgulhosamente exercitam", salienta o Governo dos Açores.

Este ano são distinguidas 38 personalidades e instituições que se destacaram em várias áreas.

Para Vasco Cordeiro, este é o "dia maior da açorianidade, no qual, simultaneamente", se celebra a "identidade, a região e a autonomia".

"Este é, também, o dia em que celebramos a nossa autonomia porque, efetivamente, ela foi, e é, bem para além da artificialidade da retórica ou das querelas, a expressão política e institucional que, resultando da tensão criadora de diversas perspetivas e propostas, tem sido capaz de responder, em concreto, às legítimas ambições de progresso e desenvolvimento do povo açoriano", disse.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.