Universidade dos Açores com milhares de documentos antigos por digitalizar

Universidade dos Açores com milhares de documentos antigos por digitalizar

 

Lusa/AO Online   Regional   15 de Nov de 2016, 11:19

A Universidade dos Açores tem milhares de documentos antigos por digitalizar para integrarem o repositório da instituição, criado em 2008 e que tem quase quatro mil publicações científicas, foi hoje anunciado.

“Estão por digitalizar milhares de documentos, alguns desde o início da universidade”, que assinala este ano 40 anos, e “nem todos estão reunidos na biblioteca”, afirmou, em declarações à agência Lusa, o coordenador de área da Biblioteca da Universidade dos Açores, Fernando Ribeiro.

Explicando que a questão da digitalização de documentos hoje em dia não se coloca, pois todos eles já se encontram em formato digital, Fernando Ribeiro salientou que a digitalização de documentos antigos “tem uma importância fundamental para o presente e para o futuro”.

“É obrigatório colocar as teses e dissertações nos repositórios das universidades onde são feitas”, referiu o responsável, esclarecendo que a introdução no repositório da academia de documentos antigos está a ser feita por estagiários, mas este é um “trabalho moroso”.

O repositório institucional da Universidade dos Açores, com 3.896 documentos de várias tipologias, tem por missão incorporar, registar, organizar e manter o acesso livre e ‘online’ da produção académica, científica e cultural produzida na academia, como teses de doutoramento, mestrado, dissertações, artigos científicos ou conferências.

Além da concentração dos documentos, Fernando Ribeiro, que na sexta-feira é um dos oradores do XV Encontro Regional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, destacou que o repositório permite a preservação dos mesmos e dá visibilidade às instituições de ensino superior, assim como possibilita a outros investigadores das mesmas áreas saberem o que está feito.

O responsável adiantou que a Universidade do Minho é a pioneira na criação dos repositórios, ferramenta que “arrancou em força em 2003/2004”, e caso já existisse na Universidade dos Açores em 1989, ano em que ocorreu um incêndio que destruiu o edifício da reitoria, teria sido possível “salvar muita documentação”.

O repositório da Universidade dos Açores, academia com polos em São Miguel, Terceira e Faial, integra o portal do Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RECAAP), que reúne várias universidades nacionais.

O ano passado, o repositório da instituição açoriana registou quase 61 mil consultas e 169 mil ‘downloads’. Em 2014, houve 276 mil consultas e 424 mil ‘downloads’.

A Universidade do Porto tem 40 mil documentos no seu repositório, enquanto a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro tem 1.300 documentos.

O XV Encontro Regional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas realiza-se na sexta-feira, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, e tem como tema os acervos digitais.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.