Teatro Micaelense acolhe "Gentileza de um Gigante"

Teatro Micaelense acolhe "Gentileza de um Gigante"

 

Açoriano Oriental   Cultura e Social   30 de Mai de 2016, 18:32

No âmbito da programação Walk&Talk 2016, o Teatro Micaelense acolhe, dia 2 de junho, "Gentileza de um Gigante", um projeto de criação de Gustavo Ciríaco, coproduzido pela Galeria Zé dos Bois e pelo festival Temps d'Images, com apoio do Walk&Talk.

O espetáculo consiste na montagem coreográfica de um duo, que se serve de uma mesa, plano vazio sobre o qual se montam paisagens efémeras. São construídos e desconstruídos mundos, onde os corpos servem de continuação da paisagem perante um público. O espetáculo apresenta uma sucessão de panoramas, colocando em foco o constante e paradoxal confronto entre um mundo feito à medida do homem e um mundo que corre para além de si e dos seus poderes orquestradores, onde a paisagem tange o indizível, o inefável, o sublime.

O trabalho de Ciríaco como artista tem sido o de investigar, de explicitar, de provocar deslocamentos poéticos do encontro presencial que marca o lugar do teatro como espaço físico da apresentação e como instância de partilha sensível. Para este projeto, Ciríaco convidou Ana Trincão e Tiago Barbosa, colaboradores desde o projeto “Onde o horizonte se move”. Ambos são performers e intérpretes singulares no campo das artes performativas, com formação e vasta experiência que vão do canto, às artes plásticas, passando pela improvisação, cinema e vídeo, dança e teatro. Somam-se os trabalhos de Eduardo Abdala, na criação de desenhos de luz imersivos, Natália Viroga, na assistência de direção, e Dina Levy, na cenografia, através de um diálogo entre estrutura física planeada e o seu uso poético em cena.

“Gentileza de um Gigante” foi desenvolvido, entre dezembro de 2015 e março deste ano, em quatro residências artísticas: no Largo Residências, em Lisboa, no Arquipélago Centro de Artes Contemporâneas, em São Miguel, no Espaço do Tempo, em Montemor-o-Novo, e no Espaço Negócio (ZDB), em Lisboa.

Coreógrafo, performer e artista contextual (Rio de Janeiro, 1969), Gustavo Ciríaco é formado em Ciências Sociais pela UFRJ e em dança pela Escola Angel Vianna. Vive em Lisboa e trabalha na Europa, América Latina, Ásia e Médio Oriente em projetos transversais envolvendo arquitetura, artes visuais e do espetáculo. Tem atuado em projetos no espaço urbano e em paisagens, em peças conversacionais, em performances e mais recentemente em projetos de museu.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.