Suspeita de doença nos coelhos leva à proibição da caça na Graciosa

Suspeita de doença nos coelhos leva à proibição da caça na Graciosa

 

Lusa/AO Online   Regional   11 de Dez de 2014, 10:11

O Governo dos Açores proibiu a caça na Graciosa face ao "surgimento de um grande número de coelhos-bravos mortos" naquela ilha "indiciando a ocorrência da Doença Hemorrágica Viral (DHV)".

 

Uma portaria publicada hoje em Jornal Oficial refere que a confirmação desta doença nos coelhos bravos "está dependente dos resultados laboratoriais dos exames aos animais recolhidos", mas frisa que "se torna necessário impedir a disseminação da doença, através do exercício da caça, até que a mesma seja considerada extinta e que os seus efeitos, na população de coelho-bravo local, sejam devidamente avaliados", sendo também necessário "acautelar eventuais repercussões da doença, ao nível da saúde pública".

Além disso, "a salvaguarda das culturas agrícolas, em situações pontuais e localizadas, será sempre possível com o recurso à correção da densidade populacional do coelho-bravo", justifica.

Assim, segundo a portaria hoje publicada, “fica proibido o exercício da caça, em toda a ilha Graciosa e a libertação de cães de caça, em qualquer tipo de terrenos onde exista ou ocorra fauna cinegética".

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.