Saúde, transportes e educação são preocupações da ilha das Flores

Saúde, transportes e educação são preocupações da ilha das Flores

 

AOnline/LUSA   Regional   5 de Nov de 2017, 10:46

A saúde, os transportes e a educação estão entre as preocupações do Conselho da Ilha das Flores, segundo um memorando enviado ao Governo dos Açores que na segunda-feira inicia a visita estatutária àquela ilha.

No documento, a que a agência Lusa teve hoje acesso e onde são elencados 37 pontos, alguns dos quais repetem-se de deslocações anteriores, o Conselho de Ilha quer saber o ponto de situação do posto de saúde das Lajes das Flores.

Para este organismo, é de “primordial importância que se possibilite a realização das recolhas para análises clínicas”, evitando, assim, os utentes de se deslocarem ao concelho vizinho de Santa Cruz das Flores, sendo que o posto deve também ter “um médico de clínica geral” e um “enfermeiro a tempo integral”.

Ainda no âmbito da saúde, os conselheiros pretendem a deslocação de mais médicos especialistas à ilha e “abrangendo maior número de especialidades” e a rentabilização da câmara hiperbárica.

Os conselhos de ilha são um organismo consultivo e nele fazem parte autarcas e representantes dos sindicatos e associações empresariais, além de outras entidades ligadas ao ambiente, às pescas ou à agricultura.

Na área da educação, o Conselho de Ilha defende a realização de “obras de fundo” no edifício da escola básica de Santa Cruz das Flores e pergunta ao Governo Regional quando prevê reparar as anomalias no pavilhão desportivo deste estabelecimento de ensino, uma infraestrutura inaugurada em julho de 2011.

Quanto aos transportes, este organismo quer a garantia de que no verão os voos de e para as Flores não vão ficar lotados antecipadamente como já sucedeu, “impossibilitando a mobilidade dos residentes”, e solicita igualmente garantias de que no inverno “não voltarão a ocorrer problemas no escoamento de pescado via aérea”.

Ainda no âmbito dos transportes aéreos, o Conselho de Ilha aponta as limitações do nascer e pôr-do-sol para a operacionalidade do aeródromo das Flores, para questionar sobre a previsão de certificação da iluminação da pista.

Quanto à ligação marítima para o Corvo, o Conselho de Ilha quer que seja criado um horário de verão para que a lancha “Ariel” faça a ligação a partir das Lajes das Flores e “uma melhoria no porto das Poças” para o embarque e desembarque de passageiros enquanto decorrem as obras nesta infraestrutura.

Outra das preocupações do Conselho de Ilha prende-se com as telecomunicações, manifestando o desejo de uma “melhoria na cobertura das redes de comunicações móveis em toda a ilha”.

No memorando, este organismo alerta ainda que se verificam “momentos de grande afluência e congestionamento na realização de inspeções periódicas aos veículos automóveis”, pelo que pede um aumento da frequência de técnicos, quer saber por que não há mais trilhos homologados na ilha e o ponto de situação da estação geodésica espacial.

O Governo Regional dos Açores começa na segunda-feira a deslocação ao grupo ocidental do arquipélago, com início na ilha das Flores, onde fica dois dias, e terminando na quinta-feira de manhã no Corvo.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.