Registados 2515 sismos nos Açores em 2016

Registados 2515 sismos nos Açores em 2016

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   4 de Jan de 2017, 14:37

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) registou 2.515 sismos nos Açores em 2016, dos quais apenas 17 foram sentidos pela população, num ano em que a atividade sísmica esteve dentro da normalidade.

 

"Dados provisórios apontam para o registo de 2.515 sismos durante o [ano passado], dos quais 2.251 foram sismos locais", disse Maria Anderson, técnica na área da sismologia da delegação regional dos Açores do IPMA, explicando que 17 dos sismos (de origem local e regional) foram sentidos.

Um sismo local é registado a menos de 100 quilómetros da estação mais próxima, um sismo regional localiza-se entre 100 e 1.000 quilómetros da estação mais próxima e um sismo distante a mais de 1.000 quilómetros.

Maria Anderson adiantou que "o mês com maior número de eventos foi agosto, com 534 sismos, dos quais 512 foram locais, sendo registados apenas três como sentidos".

Os números indicam que "a atividade sísmica registada em 2016 na Região Autónoma dos Açores esteve dentro dos limites da normalidade", salienta o IPMA.

Nos Açores, a última crise sísmica, que corresponde a um período de tempo (meses) durante o qual se regista uma elevada frequência de eventos com incidência particular numa região, remonta a abril de 2007.

Maria Anderson referiu que naquela data ocorreu "um grande número de sismos com incidência particular a oeste" da ilha do Faial.

"Durante esse mês foram registados 2.081 sismos, dos quais 2.042 foram na região e 30 destes eventos foram sentidos", informou a técnica.

A responsável acrescentou que "a vigilância sísmica do IPMA resulta de um esforço de várias entidades, entre as quais o Instituto Superior Técnico e organizações internacionais responsáveis pelo controlo da sismicidade a nível mundial", devido "à localização estratégica dos Açores no estudo do Atlântico Norte, e que tem permitido integrar no IPMA a informação em tempo quase real de 42 estações sísmicas".

"Esta atividade de cariz operacional é feita com base nos registos obtidos em estações sísmicas, digitais e acelerométricas, distribuídas geograficamente por todas as ilhas do arquipélago que registam todo o tipo de eventos sísmicos, desde o microssismo até aos movimentos associados aos sismos próximos e aos sismos ocorridos noutras partes do globo, quando de maior magnitude", esclareceu Maria Anderson.

Na terça-feira, um sismo de magnitude 7,2 na escala de Richter, ao largo das ilhas Fiji, foi registado nas estações sísmicas dos Açores.

"Com base nesses registos tem vindo a ser adquirida uma base de dados da qual constam as características dos eventos registados, nomeadamente data, hora, localização epicentral, magnitude, profundidade e respetivas estações que registam cada evento", disse a técnica, destacando que "estes dados são essenciais, não só porque permitem a atuação rápida das autoridades de Proteção Civil, como também são essenciais para diversos estudos, nomeadamente para a caracterização da perigosidade sísmica".

A ilha que tem maior número de estações sísmicas é São Miguel, a maior do arquipélago, situada no grupo oriental.

A delegação regional dos Açores do IPMA faz vigilância sismológica em permanência, contando nos Açores com três observatórios, nas ilhas de São Miguel, Faial e Terceira.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.